PUBLICIDADE

Petróleo fecha em alta com ameaças à oferta 

2 abr 2024 - 17h15
Compartilhar
Exibir comentários

Os preços do petróleo fecharam em alta nesta terça-feira, com ataques ucranianos às instalações energéticas russas e o conflito crescente no Oriente Médio impulsionando o Brent acima de 89 dólares o barril pela primeira vez desde outubro.

Os futuros do Brent para entrega em junho encerraram em alta de 1,50 dólar, ou 1,7%, a 88,92 dólares, após atingirem um pico de 89,08 dólares.

Os futuros do petróleo bruto West Texas Intermediate (WTI) para maio fecharam em alta de 1,44 dólar, ou cerca de 1,7%, a 85,15 dólares, após alcançarem o patamar de 85,46 dólares, também o mais alto desde outubro.

Um drone ucraniano atingiu uma das maiores refinarias da Rússia, num ataque que a Rússia disse inicialmente ter repelido.

A fábrica de processamento de gás de Astrakhan, na Rússia, controlada pela gigante de energia Gazprom, também interrompeu a produção de produtos derivados do petróleo após uma parada relacionada a reparos em 30 de março, afirmou a empresa, confirmando reportagem anterior da Reuters.

Uma análise da Reuters das imagens que mostram o impacto do ataque sugere que a investida atingiu a principal unidade de refino de petróleo da refinaria, responsável por cerca da metade da capacidade total anual de produção da planta, que é de 340.000 barris por dia (bpd). Os danos não pareceram graves.

A Rússia, um dos três maiores produtores mundiais de petróleo e um dos maiores exportadores de produtos petrolíferos, tem lidado com ataques ucranianos a refinarias de petróleo e também tem feito ataques à infraestrutura energética ucraniana.

No Oriente Médio, o Irã prometeu se vingar de Israel por um ataque aéreo que matou dois generais de alto escalão e cinco conselheiros militares no complexo da embaixada iraniana em Damasco.

Israel tem estado em guerra contra o grupo palestino Hamas, apoiado pelo Irã, em Gaza, mas o envolvimento direto do Irã pode desencadear um "conflito regional com impacto plausível no fornecimento de petróleo", disse Tamas Varga, da corretora de petróleo PVM.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade