PUBLICIDADE

Opep+ não deve alterar política de produção na reunião de 3 de abril

2 abr 2024 - 09h12
Compartilhar
Exibir comentários

Um painel ministerial da Opep+ não deve recomendar qualquer mudança na política de produção de petróleo em reunião na quarta-feira, disseram cinco fontes da Opep+ à Reuters, enquanto os preços do petróleo atingem seu pico neste ano.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo e seus aliados, liderados pela Rússia, conhecidos como Opep+, realizarão uma reunião online do Comitê de Monitoramento Ministerial Conjunto (JMMC) em 3 de abril para analisar o mercado e a implementação dos cortes de produção pelos membros que já concordaram em estendê-los.

O petróleo se recuperou este ano, sustentado por uma oferta mais restrita e por ataques à infraestrutura energética russa e pela guerra no Oriente Médio. Nesta terça-feira, o petróleo bruto Brent atingiu 89 dólares por barril, acima dos 77 dólares no final de 2023.

Duas fontes, que pediram para não serem identificadas porque não estavam autorizadas a falar publicamente, disseram que esperavam uma reunião direta, citando a decisão anterior de estender os cortes de produção. A reunião está marcada para as 13h00 no horário de Viena.

Os membros da Opep+, liderados pela Arábia Saudita e pela Rússia, concordaram no mês passado em estender os cortes voluntários de produção de 2,2 milhões de barris por dia (bpd) para apoiar o mercado. Os cortes são voluntários pois não são compartilhados por todos os membros do grupo.

O vice-primeiro-ministro russo, Alexander Novak, disse na sexta-feira que a Rússia decidiu se concentrar na redução da produção de petróleo em vez das exportações no segundo trimestre, a fim de distribuir uniformemente os cortes de produção com outros países membros da Opep+.

Quando as restrições voluntárias expirarem no final de junho, os cortes totais da Opep+ deverão diminuir para 3,66 milhões de bpd, conforme acordado em etapas anteriores a partir de 2022.

O JMMC reúne os principais países da OPEP+, incluindo a Arábia Saudita, a Rússia e os Emirados Árabes Unidos.

O painel geralmente se reúne a cada dois meses e pode fazer recomendações para alterar a política que pode então ser discutida e ratificada em uma reunião ministerial completa, incluindo todos os membros.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade