PUBLICIDADE

Ministro quer incentivar minerais críticos e defende mineração com olhar social

21 fev 2024 - 14h43
Compartilhar
Exibir comentários

O Brasil deverá lançar no segundo semestre um programa para incentivar a produção de minerais críticos para a transição energética, em iniciativas que também permitam a agregação de valor aos materiais produzidos no país, disse o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, nesta quarta-feira.

Ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira
28/02/2023
REUTERS/Adriano Machado
Ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira 28/02/2023 REUTERS/Adriano Machado
Foto: Reuters

Ele também avaliou que as grandes mineradoras deveriam investir em maior agregação de valor no Brasil, considerando questões sociais e impactos favoráveis de tais investimentos para a economia.

"O nosso minério de ferro... é um absurdo que mais de 90% dele seja 'briquetizado' em Omã por falta de competitividade no Brasil ou por falta do nosso gás, e muitas vezes também por uma visão exclusivamente financista, que não leva em consideração o compromisso das empresas mineradoras, principalmente as grandes mineradoras, com a questão social", afirmou ele a jornalistas, após um evento.

Ele não citou nomes de mineradoras.

A Vale inaugurou no ano passado a primeira planta de briquete de minério de ferro do mundo em Vitória (ES), à medida que está atenta à descarbonização na siderurgia. A companhia também tem projeto de produzir briquetes no exterior para fornecer a "mega hubs" siderúrgicos de baixo carbono, incluindo Omã.

"É aquilo que eu sempre destaco, ninguém quer intervir na governança, na natureza jurídica das empresas, mas a Constituição da República previu que as empresas, principalmente as empresas estratégicas e de maior porte, elas têm também um compromisso social", acrescentou Silveira, que recentemente negou que o governo tenha tratado de sucessão do presidente-executivo da Vale.

Silveira também está em uma cruzada para que o país oferte gás a custos mais baixos às indústrias, e muitas vezes suas avaliações se confrontam com interesses de acionistas minoritários da Petrobras.

O ministro disse que é preciso "avaliar o equilíbrio através da regulação e através de formulação de política pública para que a gente possa transformar as nossas riquezas no Brasil e não continuar sendo um país que é praticamente visto como um exportador de produtos não manufaturados".

MINERAIS CRÍTICOS

Silveira revelou que ainda este ano o Brasil lançará o Programa Mineração para Energia Limpa, que terá como objetivo desenvolver a indústria de transformação mineral e fortalecer o conhecimento geológico e a pesquisa mineral.

Destacou ainda que o programa poderá ter alguns incentivos.

"Vai ter incentivos fiscais, nós já estamos com eles em andamento. Estamos acabando de discutir agora a inclusão dos minerais críticos para a emissão de debêntures incentivadas. Isso vai impulsionar muito a mineração sustentável e segura que nós queremos promover...", afirmou, ao ser questionado sobre o assunto.

Ele observou também que o setor mineral "anda com as pernas próprias", e que é preciso "ter muito cuidado" sobre o que é subsídio e incentivo, considerando que o governo lida com um déficit fiscal.

"O setor mineral, na nossa visão... na questão da emissão de debêntures, ele é fundamental, porque quando se trata de minerais críticos, nós estamos falando de uma nova mineração, de novos incentivos...", comentou, citando minerais como o nióbio, lítio e vanádio.

O evento sobre mineração acontece na sede do mistério até quinta-feira. O primeiro bloco do seminário contou com a presença de representantes da União Europeia, da embaixada da China e da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade