PUBLICIDADE

Gol obtém mais prazo de negociação com arrendador de aeronaves

27 fev 2024 - 14h55
(atualizado às 16h49)
Compartilhar
Exibir comentários

A Gol conseguiu mais 30 dias de prazo para renegociar contrato de arrendamento de aeronaves com a AerCap, uma das principais empresas de leasing usadas pela companhia aérea, segundo documentos da Justiça dos Estados Unidos, onde a empresa pediu recuperação judicial em janeiro.

A AerCap arrendou 39 aviões à Gol, além de oito motores. Segundo o documento visto pela Reuters, o acordo para a prorrogação das negociações envolve aeronaves que incluem Boeings 737-700, 737-800 e 737-MAX 8.

A Gol, que entrou com pedido de recuperação judicial na Justiça dos EUA em 25 de janeiro, tinha até o final de setembro uma frota de 141 aviões, segundo balanço de terceiro trimestre publicado pela companhia.

O acordo de renegociação é sobre uma transação de venda e arrendamento acertada pela Gol com a AerCap antes do pedido de recuperação judicial. As companhias acertaram a continuidade do contrato que prevê o recebimento de uma nova aeronave.

Procurada, a Gol afirmou em nota que está satisfeita por ter mais uma nova aeronave se somando a sua frota. "Esperamos continuar as discussões com todos os nossos parceiros arrendadores de aeronaves para o melhor posicionamento de nossa frota", acrescentou.

Na quarta-feira, representes da companhia devem participar de uma audiência em tribunal em Nova York para atualizar o juízo da recuperação sobre a negociação com os credores e para eventual aprovação de uma segunda tranche de um empréstimo de 950 milhões de dólares à companhia aérea.

Uma primeira tranche de 350 milhões de dólares foi liberada pela Justiça norte-americana no final de janeiro.

Por volta das 16:35, as ações da Gol subiam 1,92%, cotadas a 2,65 reais, enquanto o Ibovespa mostrava alta de 1,53%.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade