PUBLICIDADE

Ex-escoteiro transforma R$ 8 mil em R$ 500 milhões

Escoteiro, motorista de caminhão, programador, gestor e encantador de camelos: empresário hoje fatura alto

15 set 2022 - 06h00
Compartilhar
Exibir comentários
Justino, o escoteiro que nunca desistiu
Justino, o escoteiro que nunca desistiu
Foto: Divulgação

Com idade na casa dos 50 anos, o empresário Paulo Sérgio Justino já fez de tudo em sua trajetória como autodidata. Foi escoteiro, motorista de caminhão, programador, CIO, diretor comercial e atualmente é CEO da FCJ Venture Builder, cujo valor está em R$ 500 milhões.  

Nascido em Uberlândia-MG, o primogênito de cinco filhos sempre se destacou entre os irmãos. Foi escoteiro, chefe de escoteiro, o que lhe deu desde cedo a experiência de liderar, motivar e trabalhar em equipe.  

Formado em administração de empresas e marketing, foi consultor de processos downsizing da prefeitura municipal de Uberlândia, onde em 1999 criou um programa de informática, o Power City, para a gestão de prefeituras e órgãos públicos. 

A grande virada mesmo veio em 2013, quando decidiu empreender fundando a FCJ Venture Builder. Com apenas R$ 8 mil de investimento, ele criou o negócio que hoje vale R$ 500 milhões.

As pedras no meio do caminho 

Começar a trabalhar tão cedo traz muitos benefícios, mas também muitos tombos. Em quase 40 anos de carreira, Justino quebrou duas vezes: aos 18 anos com a marcenaria, e aos 35 quando deixou criou uma fábrica de software em Uberlândia.  

Quando planejou o que seria a FCJ Venture Builder, todos lhe diziam que sua ideia estava fadada ao fracasso. “Se tivesse dado ouvidos, não estaria aqui hoje para contar a história”, diz Justino.

Ele hoje lidera mais de 200 pessoas e o Grupo FCJ hoje conta com mais de 120 startups, 42 corporates venture builders e até o fim de 2022 pretende expandir para 50. São 2 mil colaboradores diretos e indiretos. “O segredo é manter boas pessoas para estar à frente da gestão”, sugere ele.

“Resiliência e propósito são palavras de ordem para mim. Temos que aceitar os desafios, por mais que sejam desconhecidos a nós. Por trás deles pode haver uma grande oportunidade inexplorada”, diz Justino.

“As startups impactam não só a vida de quem sonhou com elas e correu atrás para realizar, mas também geram valor, empregos, e são capazes de modificar um ecossistema inteiro. É isso o que mais me encanta nesse mundo e, no que depender de mim, ainda irá crescer muito!”

Redação Dinheiro em Dia
Compartilhar
Publicidade
Publicidade