PUBLICIDADE

Governo quer revisar marco regulatório de ferrovias e vai ao Meio Ambiente para destravar Ferrogrão

Ministro dos Transportes, Renan Filho, vai conversar com a ministra Marina Silva para tratar da ferrovia de 933 quilômetros, que enfrenta percalços por causa de impactos ambientais

18 jan 2023 - 17h10
(atualizado às 17h16)
Compartilhar
Exibir comentários

BRASÍLIA - O governo Ministério dos Transportes anunciou que irá revisar o marco regulatório de ferrovias com estruturação de um programa de Parceiras Público-Privadas e uma política nacional de transportes ferroviário de passageiros, uma demanda da sociedade. A estratégia faz parte do plano dos primeiros 100 da pasta, anunciado nesta quarta-feira, 18, pelo ministro Renan Filho.

A Associação Brasileira da Indústria Ferroviária (Abifer) está entre aqueles que veem a expansão da malha com bons olhos e acreditam que há carga para todos transportarem, dado o volume de crescimento projetado para a produção agrícola
A Associação Brasileira da Indústria Ferroviária (Abifer) está entre aqueles que veem a expansão da malha com bons olhos e acreditam que há carga para todos transportarem, dado o volume de crescimento projetado para a produção agrícola
Foto: Minfra/Divulgação / Estadão

A pedido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ministro disse que vai conversar com a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, para destravar as obras da ferrovia conhecida como Ferrogrão, de 933 quilômetros, ligando Sinop (MT) a Miritituba (PA) para escoamento da safra de grãos. A obra enfrenta percalços por causa dos impactos ambientais da construção. Renan Filho criticou o nome dado de Ferrogrão para a ferrovia. "Parece que é algo que vai contra o meio ambiente", disse.

Na área de ferrovias, o plano prevê, além do Ferrogrão, a contratação da Ferrovias de Integração Oeste-Leste (Fiol) e de Integração Centro-Oeste (Fico).

Renan Filho informou que a meta é elevar para 40% a participação do modal ferroviário na matriz logística até 2035. As ferrovias hoje correspondem a menos de 20% da matriz. Segundo ele, o aumento das ferrovias vai modernizar a logística, aumentar a competitividade e a segurança das rodovias.

O plano, antecipado pelo Estadão, foi dividido em cinco eixos: revitalização, retomada e intensificação de obras rodoviárias e ferroviárias; prevenção de acidentes para redução de mortes nas rodovias; medidas para escoamento da safra recorde de grãos; pronto atendimento para emergências, como Chuvas; e ações para fortalecimento para atração de investimento privado.

Projeto da Ferrogrão tem 933 quilômetros, ligando Sinop (MT) a Miritituba (PA)
Projeto da Ferrogrão tem 933 quilômetros, ligando Sinop (MT) a Miritituba (PA)
Foto: Ministério da Infraestrutura/ Divulgação / Estadão
Estadão
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade