PUBLICIDADE

Quatro razões de tantos repórteres se demitirem da Globo 

Emissora vive onda de saídas abruptas de jornalistas insatisfeitos após muitos anos de trabalho

23 mai 2022 11h17
| atualizado às 11h17
ver comentários
Publicidade
André Hernan, Elaine Bast, Michelle Barros, Kenzô Machida e Veruska Donato: vida nova fora da Globo
André Hernan, Elaine Bast, Michelle Barros, Kenzô Machida e Veruska Donato: vida nova fora da Globo
Foto: Reprodução/TV

Trabalhar na TV Globo é sempre uma maravilha para quem entra, porém, a saída pode ter sabor amargo. O sonho, às vezes, acaba em frustração.

Nos últimos anos, vários repórteres veteranos se demitiram. Ainda causa surpresa que um jornalista não queira continuar na mais vista e poderosa emissora do País. 

A mais recente a entregar o crachá foi Elaine Bast, após 23 anos de reportagem. Despediu-se do canal uma semana depois da colega Michelle Barros, 12 anos de casa, que também se demitiu.

Por que tanta insatisfação?

Estagnação - A reportagem de rua é a grande escola do jornalista de TV. Mas os perrengues do dia a dia nas gravações de matérias e nos links (entradas ao vivo) geram intenso estresse. Com o tempo, todos desejam um posto mais tranquilo, no estúdio, seja como apresentador de um quadro ou âncora titular de telejornal. A concorrência é numerosa e poucos conseguem. Elaine e Michelle, por exemplo, ficaram anos na fila, à espera do reconhecimento pelos serviços prestados. Frustradas, saíram para buscar a realização em outro lugar.

Sob pressão - O clima atrás das câmeras não é tranquilo. A carga de trabalho e a cobrança por resultado mexem com a saúde mental. Os apresentadores são avaliados pela audiência. Os repórteres estão sempre correndo contra o relógio para entregar o material e, frequentemente, ainda enfrentam provocações e ameaças na rua, da parte dos anônimos que detestam o jornalismo da Globo.

Contracheque – Ilude-se quem acredita que a Globo, por ser a TV mais rica, paga os salários mais altos. Canais concorrentes têm jornalistas ganhando bem mais. Há quem prefira o status de ser global, enquanto outros pensam no bolso e se transferem para emissoras rivais ou vão para o mercado corporativo. 

Reinvenção – Há vida fora da Globo. Antigamente, não havia muitas opções de trabalho. Hoje, o jornalista pode ser dono do próprio negócio na internet. Passa a ser criador de conteúdo e fatura bem mais do que o salário na TV, com posts patrocinados e material produzido para empresas, por exemplo. O empreendedorismo está em alta entre os profissionais de comunicação.

Sala de TV Blog Sala de TV - Todo o conteúdo (textos, ilustrações, áudios, fotos, gráficos, arquivos etc.) deste blog é de responsabilidade do blogueiro que o assina. A responsabilidade por todos os conteúdos aqui publicados, bem como pela obtenção de todas as autorizações e licenças necessárias, é exclusiva do blogueiro. Qualquer dúvida ou reclamação, favor contatá-lo diretamente no e-mail beniciojeff@gmail.com.
Publicidade
Publicidade