PUBLICIDADE

‘JN’ critica Bolsonaro duas vezes logo após o pronunciamento

Telejornal dá voz a cidadãos anônimos para contestar a posição antivacina do presidente e destacar o aumento da fome no País

1 jan 2022 11h06
| atualizado às 11h18
ver comentários
Publicidade
Bolsonaro ganhou destaque negativo no último ‘JN’ de 2021
Bolsonaro ganhou destaque negativo no último ‘JN’ de 2021
Foto: Fotomontagem: Blog Sala de TV

A última edição de 2021 do ‘Jornal Nacional’ não poupou o presidente da República. Ele foi contestado explicitamente pelo conteúdo do pronunciamento transmitido antes de o telejornal começar.

“Na véspera de um ano eleitoral, o presidente Jair Bolsonaro fez um pronunciamento de seis minutos e meio, em cadeia de rádio e TV, com elogios aos seus três primeiros anos de governo, omitindo fatos negativos e distorcendo outras informações”, leu a âncora substituta Ana Paula Araújo.

O tom foi de reprovação ao que o ‘JN’ viu como oportunismo de Bolsonaro em busca de aprovação popular e votos. Na sequência, 50 segundos de imagens de panelaços em várias cidades do País, com gritos de “Fora Bolsonaro”.

Antes disso, na primeira matéria da noite, o telejornal já havia se posicionado contra o presidente. O repórter Paulo Renato Soares ouviu brasileiros anônimos na orla do Rio de Janeiro. Algumas frases escolhidas na edição fizeram contraponto ao pronunciamento.

“A gente teve a oportunidade de se vacinar e ver uma luz no fim do túnel nessa coisa caótica que vivemos na saúde”, disse uma entrevistada. “2021 foi o ano do aumento da desigualdade, da fome, das crianças ainda sem vacina, das ameaças à democracia. Mas nos ensinou a ficar atentos”, afirmou o repórter.

“Muita gente noticiando, espalhando fake news, desinformação. Espero que a gente tenha maior responsabilidade com as informações que a gente propaga. Que 2022 traga mais consciência”, refletiu um rapaz. “Vamos tentar vacinar essas crianças aí”, insistiu uma mulher. Em seu discurso na TV, Bolsonaro repetiu sua posição contra o passaporte vacinal e a obrigação de imunizar as crianças.

Alvo de frequentes xingamentos do presidente (“imprensa lixo”, “porca”, “nojenta”, “podre”, “imoral”, “canalha”), a Globo sinaliza que não irá recuar em sua linha editorial contra as polêmicas atitudes pessoais e ações institucionais de Bolsonaro. A guerra de nervos foi renovada para 2022.

Sala de TV Blog Sala de TV - Todo o conteúdo (textos, ilustrações, áudios, fotos, gráficos, arquivos etc.) deste blog é de responsabilidade do blogueiro que o assina. A responsabilidade por todos os conteúdos aqui publicados, bem como pela obtenção de todas as autorizações e licenças necessárias, é exclusiva do blogueiro. Qualquer dúvida ou reclamação, favor contatá-lo diretamente no e-mail beniciojeff@gmail.com.
Publicidade
Publicidade