14 eventos ao vivo
TV

Hugh Laurie volta à TV na série de comédia 'Avenue 5'

Produção da HBO tem o mesmo criador de 'Veep', Armando Iannucci, mas muda de tom: acompanha o capitão de uma espaçonave que é uma espécie de cruzeiro pelo sistema solar

18 jan 2020
14h31
  • separator
  • 0
  • comentários

LOS ANGELES — Em seus dois trabalhos anteriores na televisão - In the Loop e Veep -, o criador Armando Iannucci extraiu comédia da política. Em sua nova série, Avenue 5, que estreia à meia-noite deste domingo para a segunda na HBO, ele muda de cenário. "Mas queria abordar certas emoções que estão à nossa volta", disse Iannucci em entrevista ao Estado, em Los Angeles. "Há um ar de incerteza e imprevisibilidade, de raiva e ansiedade e uma sensação de destruição iminente por causa do clima, sem ninguém tomar providência. E uma sensação de enlouquecimento das massas, do populismo e como as massas ganham uma espécie de vida própria."

Em Avenue 5, Hugh Laurie, conhecido como o personagem principal de House, volta às suas origens na comédia no papel de Ryan Clark, o capitão de uma espaçonave que é uma espécie de cruzeiro pelo sistema solar. "Foi bom voltar, comédia é empolgante e aterrorizante ao mesmo tempo. É muito mais difícil de fazer bem", afirmou. Para Iannucci, Laurie tinha a combinação perfeita de carisma, charme e autoridade. "Ele mostra autoconfiança, mas dá para ver que por dentro está em pânico porque sabe que é uma fraude."

Josh Gad faz Herman Judd, o dono da empreitada - um bilionário sem noção das coisas. "Queríamos mostrar a regressão desse tipo de empreendedor moderno. Gente como Billy McFarland, que criou o Fyre Festival, ou Elizabeth Holmes, a mulher por trás da Theranos (que prometia testes laboratoriais rápidos e baratos impossíveis de ser realizados). Esses grandes vendedores que, na verdade, não têm nada de valor para vender", disse Gad. Judd é um grande fã de Elon Musk e Richard Branson e, inclusive, imita o penteado do último. "Porque tiveram sucesso em uma coisa, eles acham que tudo o que fizerem vai ser sucesso", lembrou Iannucci. "E não gostam de ouvir não nem aceitam fatos e ciência provando que sua ideia está errada. Acreditam que, como têm dinheiro, podem mudar fatos ou ciência."

Sendo uma comédia, claro que as coisas no cruzeiro espacial dão errado, a começar por uma despressurização que fere e mata várias pessoas. A equipe que posa de tripulação é maior e bem-vestida do que aqueles que deveriam fazer as coisas funcionarem, presos num porão da espaçonave. O criador fez pesquisas e ficou surpreso ao saber que a maior arma contra a radiação espacial são fezes humanas, o que rendeu cenas hilárias.

Como Iannucci é político mesmo sem querer ser, ele não deixa de enxergar traços de Judd em Donald Trump. "Ele tentou administrar a Casa Branca como administrava sua companhia, sem entender que as pessoas diriam, 'Não, isso é ilegal', ou 'Você não tem o poder de fazer tal coisa'." É isso que acontece na série: uma viagem espacial é uma operação complexa, e Judd precisa comandar uma missão de resgate para a qual não tem preparo. Para uma comédia, é um prato cheio. Na vida real, é sempre um desastre de grandes proporções.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade