Bolsonaro acabaria com pandemia com verba ‘tirada’ da Globo?

Valor que o governo federal deixou de repassar anualmente à emissora compraria pequena quantidade de vacinas

7 abr 2021
13h39 atualizado às 13h50
0comentários
13h39 atualizado às 13h50
Publicidade

Na terça-feira (6), em conversa com apoiadores diante do Palácio da Alvorada, Jair Bolsonaro citou a ‘inimiga’ Globo em declaração controversa. “Eu resolvo o problema do vírus em poucos minutos. É só pegar o que os governos pagavam no passado para a Globo, para a ‘Folha’, ‘Estado de S. Paulo’. Esse dinheiro não é para a imprensa. Esse dinheiro era pra outras coisas”, disse.

Bolsonaro cortou cerca de 60% da verba publicitária do governo federal à Globo: economia de um ano compra vacinas para 1% da população
Bolsonaro cortou cerca de 60% da verba publicitária do governo federal à Globo: economia de um ano compra vacinas para 1% da população
Foto: Fotomontagem: Blog Sala de TV

O presidente cumpriu a promessa de campanha de reduzir a publicidade estatal na emissora da família Marinho. O corte foi de 60%. Do primeiro mandato de Lula, iniciado em 2003, até o final da Presidência de Michel Temer, em 2018, a Globo faturou em média R$ 400 milhões por ano com verbas ligadas ao governo federal.

Muito dinheiro, certamente, mas tal quantia representou apenas de 4% a 5% do faturamento médio da emissora em anos recentes. Sob a gestão de Bolsonaro, o investimento federal em espaços nos intervalos do canal caiu para R$ 150 milhões por ano.

Em tempos de retração do mercado publicitário e suspensão de patrocínios de grandes eventos televisivos por conta da pandemia de covid-19, essa queda no faturamento faz falta, obviamente, mas não vai gerar a falência da Globo, como muitos apoiadores do presidente previam - a empresa tem R$ 13,6 bilhões em caixa.

Será que Jair Bolsonaro acabaria com o coronavírus no Brasil somente com o dinheiro público destinado ao canal? Os R$ 250 milhões de economia por ano com o corte de verba à Globo compram cerca de 4,3 milhões de vacinas CoronaVac, considerando o valor de R$ 58 por dose cobrado pelo Instituto Butantan no primeiro contrato com o governo federal.
 
Como cada pessoa precisa de duas doses, seriam imunizados 2,1 milhões de brasileiros, ou seja, 1% da população. Índice insuficiente para controlar a onda de contaminados e mortes. Aplicando a média do atual corte de verba à Globo nos últimos 18 anos, desde o começo da era Lula, a quantia economizada serviria para comprar vacinas para menos de 20% da população.

Para vacinar 100% do País com duas doses da CoronaVac, o governo de Bolsonaro precisaria de R$ 24,5 bilhões, ou seja, 60 vezes o que os três presidentes anteriores investiram por ano em publicidade na Globo.

Sala de TV Blog Sala de TV - Todo o conteúdo (textos, ilustrações, áudios, fotos, gráficos, arquivos etc.) deste blog é de responsabilidade do blogueiro que o assina. A responsabilidade por todos os conteúdos aqui publicados, bem como pela obtenção de todas as autorizações e licenças necessárias, é exclusiva do blogueiro. Qualquer dúvida ou reclamação, favor contatá-lo diretamente no e-mail beniciojeff@gmail.com.
Publicidade
Publicidade