0

São Paulo comemora 466 anos com grande festa

Tradicional ao longo dos anos, festa do aniversário da cidade trouxe atrações culturais em vários pontos da cidade

25 jan 2020
19h49
atualizado às 21h00
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Foi por volta de meio-dia deste sábado (25) que a concentração de pessoas começou a se formar no Pátio do Colégio, no centro de São Paulo, para assistir a primeira atração cultural do aniversário de 466 anos da cidade de São Paulo. O Sol era forte, e a tímida concentração deu lugar a uma multidão que ansiava pelo início das festividades. O Cortejo Modernista apresentava ao público a cantora Elba Ramalho com acompanhamento da banda Bixiga 70.

A cantora Elba Ramalho se apresenta para o público na abertura do Grande Cortejo Modernista, que circula pelas ruas do centro de São Paulo (SP), na tarde deste sábado (25), em comemoração ao aniversário de 466 anos da cidade
A cantora Elba Ramalho se apresenta para o público na abertura do Grande Cortejo Modernista, que circula pelas ruas do centro de São Paulo (SP), na tarde deste sábado (25), em comemoração ao aniversário de 466 anos da cidade
Foto: Roberto Sungi / Futura Press
A cantora Elba Ramalho se apresenta para o público na abertura do Grande Cortejo Modernista, que circula pelas ruas do centro de São Paulo (SP), na tarde deste sábado (25), em comemoração ao aniversário de 466 anos da cidade
A cantora Elba Ramalho se apresenta para o público na abertura do Grande Cortejo Modernista, que circula pelas ruas do centro de São Paulo (SP), na tarde deste sábado (25), em comemoração ao aniversário de 466 anos da cidade
Foto: Roberto Sungi / Futura Press

Após cerca de uma hora de atraso, finalmente o cortejo começou sua apresentação, acelerando o mini trio elétrico pelas ruas do centro de São Paulo, ao som de clássicos como "Anunciação" de Alceu Valença e "Sonífera Ilha" dos Titãs. Talvez devido ao atraso, Elba não cantou por mais de 40 minutos, no que o cortejo desembarcou no Largo São Bento, ao som do rap de Rachid e Karol Conka.

Depois da apresentação do Balé da Cidade e dos Demônios da Garoa, na Praça do Patriarca, com direito a performances suspensas de músicos por um guindaste, o grande destaque da tarde ficou por conta do Maestro João Carlos Martins regendo a Orquestra Sinfônica de São Paulo em frente ao Theatro Municipal. Infelizmente, esta atração foi subaproveitada, seja pelo fato da orquestra estar inaudível devido ao péssimo trabalho de sonorização ou mesmo pelo público presente estar mais interessado em falar alto e ouvir música em suas caixas de som. Talvez a atração errada no lugar errado.

Noite adentro o aniversário da cidade ainda contou com performances da banda Skank, do cantor Ney Matogrosso e do bloco Baixo Augusta, além de pontos descentralizados com apresentações de Emicida e Rincon Sapiência.

Em suma, o aniversário da cidade foi tudo que se pode esperar de um grande evento a céu aberto: muita gente, muita curtição, algumas ocorrências policiais e confusão mas, acima de tudo, uma grande oportunidade de apreciar diversas atrações culturais de forma gratuita.

Veja também:

 

Fonte: Equipe portal
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade