7 eventos ao vivo

R. Kelly tem fiança negada em acusações de crimes sexuais

Cantor de R&B tem uma série de acusações federais de comandar um esquema para forçar mulheres e meninas a sexo com ele e outros

16 jul 2019
20h44
atualizado às 20h59
  • separator
  • 0
  • comentários

O cantor de R&B R. Kelly se declarou nesta terça-feira inocente de uma série de acusações federais de comandar um esquema para forçar mulheres e meninas a sexo com ele e outros, e um juiz determinou que ele fique detido sem direito à fiança. 

Um juiz federal disse que o principal motivo para a negação da fiança seriam acusações de obstrução de justiça, que integram uma denúncia de múltiplas acusações revelada na sexta-feira em Chicago e Nova York.

Cantor R. Kelly. 22/3/2019. REUTERS/Kamil Krzaczynski
Cantor R. Kelly. 22/3/2019. REUTERS/Kamil Krzaczynski
Foto: Reuters

Vestindo um uniforme laranja de presidiário e algemado em uma audiência em um tribunal federal, R. Kelly se declarou inocente e respondeu "sim, senhor" a todas as perguntas do juiz distrital Harry Leinenweber. Ele não fez contato visual com seus apoiadores no tribunal em Chicago. 

"Kelly representa perigo extremo à comunidade, especialmente a meninas adolescentes", disse o procurador federal Angel Kroll. "Mr. Kelly cometeu extensiva obstrução de Justiça". 

Procuradores apresentaram 18 denúncias contra o artista vencedor do Grammy, com alegações de que ele teria uma comportamento predatório sobre adolescentes e jovens mulheres por décadas, tendo cometido uma série de atos sexuais forçados. 

Kelly e sua equipe são acusados de pagarem centenas de milhares de dólares em propinas, usando intimidação e até oferecendo um carro para uma vítima para ela ficar em silêncio, atos que fazem parte das acusações de obstrução de Justiça.

Veja também:

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade