PUBLICIDADE

Após seis anos de luta contra o câncer, jornalista se despede: 'Meu corpo não consegue continuar'

Deborah James compartilhava sua rotina vivendo há seis anos com câncer de intestino nas redes sociais, mas depois de muitos tratamentos, ela resolveu se despedir

10 mai 2022 12h12
| atualizado às 12h58
ver comentários
Publicidade
Deborah James usou as redes sociais para se despedir daqueles que acompanhavam sua rotina, vivendo com o câncer.
Deborah James usou as redes sociais para se despedir daqueles que acompanhavam sua rotina, vivendo com o câncer.
Foto: Instagram / @BowelBabe / Estadão

Deborah James, 40 anos, é uma jornalista do The Sun e da BBC no Reino Unido, que há seis anos compartilha sua rotina após descobrir um câncer terminal. Na noite desta segunda-feira, 9, ela decidiu escrever uma despedida nas redes sociais para todos que acompanharam sua trajetória e a ouviram falar sobre o cotidiano de pessoas com câncer no podcast You, Me and the Big C (Você, Eu e o Grande C).

Segundo Deborah, ela nunca imaginou que um dia escreveria uma despedida para essas pessoas, mas o seu corpo não consegue mais conviver com a doença. Ela descobriu o câncer no intestino em 2016 e desde então compartilha sua rotina no Instagram.

"A mensagem que eu nunca quis escrever. Tentamos de tudo, mas meu corpo simplesmente não está jogando a bola. Meus cuidados ativos foram interrompidos e agora estou em casa, tendo a minha incrível família ao meu redor e o foco é não sentir dor, durante o tempo que passo com eles", contou.

Durante os seis anos em que conviveu com a doença, ela falou sobre os seus sonhos, o que precisava viver: a ida dos filhos para o ensino médio, o Natal, que era uma festa muito amada pela apresentadora, e chegar aos 40 anos. Deborah ainda falou que é triste que outros sonhos tenham de ser deixados de lado agora.

"Ninguém sabe quanto tempo me resta, mas não consigo andar, estou dormindo a maior parte dos dias, e a maioria das coisas que eu dava como certas são sonhos. Mesmo com todos os medicamentos inovadores contra o câncer do mundo ou algum novo avanço mágico, meu corpo simplesmente não consegue mais continuar", disse a jornalista.

"Em mais de 5 anos escrevendo sobre como eu pensei que seria meu último Natal, como eu não viveria meu aniversário de 40 anos nem veria meus filhos irem para o ensino médio — eu nunca imaginei escrever sobre o dia em que eu realmente diria adeus."

"Acho que vive uma esperança rebelde em mim", contou Deborah, que apesar da esperança, relatou que os últimos seis meses foram muito difíceis e que estar cercada pelo amor da família é o que a faz querer permanecer nesta vida.

Para ajudar pessoas como ela, que sofrem de câncer no intestino, Deborah criou o Fund Bowelbabe (Fundo bebê do intestino), com o intuito de financiar pesquisas para o desenvolvimento de tratamentos para esse câncer em específico, que não é nada gentil. É uma forma de utilizar esse engajamento que ela reuniu durante os últimos anos para ajudar outras pessoas que estão enfrentando a mesma doença.

"Neste momento, para mim, tenho de viver um dia de cada vez, passo a passo, e ser grata por outro nascer do sol. Minha família inteira está ao meu redor e vamos dançar juntos, tomando sol e rindo (eu vou chorar!) em todos os momentos possíveis!", se despediu.

Estadão
Publicidade
Publicidade