0

Confira clássicos que foram indicados e perderam o Oscar

Ao longo dos 91 anos da cerimônia, não faltaram longas e diretores que deixaram a premiação da Academia de mãos vazias

21 fev 2019
17h43
atualizado às 19h19
  • separator
  • 0
  • comentários

A cerimônia do Oscar será realizada neste domingo, 24, e pela primeira vez a Academia tem a oportunidade de premiar longas inspirados em quadrinhos, como 'Pantera Negra', e reconhecer a Netflix como potência cinematográfica com 'Roma'. Nos últimos 91 anos de entrega de estatuetas, no entanto, a escolha dos vencedores sempre foi questionada por deixar alguns clássicos de fora.

Charles Chaplin, Stanley Kubrick e Alfred Hitchcock são alguns dos grandes nomes do cinema que não venceram as estatuetas com suas obras, reconhecidas até os dias de hoje. Veja aqui a lista dos indicados deste ano econfira abaixo alguns filmes que foram indicados, mas não ganharam o Oscar, ou foram ignorados pela Academia.

'Um Corpo Que Cai' (1958)

O clássico de Hitchcock sobre o detetive aposentado John 'Scottie' Ferguson e seu terrível medo de altura foi nomeado duas vezes ao Oscar de 1959, mas ambas as categorias eram técnicas e mesmo assim o longa saiu com as mãos abanando. À época, o drama 'Ben-Hur' venceu onze estatuetas, incluindo Melhor Filme e Melhor Direção.

Cena do filme 'Um Corpo que Cai', de Alfred Hitchcock.
Cena do filme 'Um Corpo que Cai', de Alfred Hitchcock.
Foto: Alfred J. Hitchcock Productions - Divulgação / Estadão

Hitchcock, aliás, passou a carreira sem vencer nenhuma estatueta. Além de 'Um Corpo Que Cai', o diretor é o responsável por outros clássicos como 'Janela Indiscreta' (1954) e 'Psicose' (1960). Em ambos, foi nomeado ao premio de Melhor Direção, mas deixou a cerimônia sem o Oscar.

'Cidadão Kane' (1941)

Indicado a nada mais que nove categorias do Oscar de 1942, incluindo Melhor Filme e Melhor Direção, a obra-prima de Orson Welles sobre a história e morte do magnata Charles Foster Kane saiu apenas com uma estatueta: Melhor Roteiro. O prêmio seria o único Oscar vencido por Welles durante sua carreira.

Orson Welles, em cena do filme Cidadão Kane. 
Orson Welles, em cena do filme Cidadão Kane.
Foto: RKO Radio Pictures e Mercury Productions - Divulgação / Estadão

Apesar disso, Cidadão Kane continua a ser reverenciado pela cinematografia, edição, trilha sonora e estrutura narrativa consideradas inovadoras. Muitos críticos consideram o longa um dos melhores filmes já feitos.

'2001: Uma Odisseia no Espaço' (1968)

Antes mesmo da Nasa enviar a Apollo 11 à Lua, Stanley Kubrick apresentou sua própria aventura espacial partindo da evolução humana aos questionamentos sobre os limites do avanço tecnológico e suas consequências para o mundo.

Considerado uma inspiração para as obras de ficção de hoje, 2001: Uma Odisseia no Espaço venceu somente o Oscar técnico de Melhores Efeitos Especiais, em 1969, mas não deu a Kubrick a estatueta de Melhor Direção.

O diretor também passou batido pela Academia com o longa 'O Iluminado' (1980), apesar da atuação de Jack Nicholson. Com o icônico 'Laranja Mecânica' (1971), foi indicado a Melhor Direção, mas perdeu a estatueta e terminou a carreira sem conquistar nenhum prêmio.

'O Grande Ditador' (1940)

A comédia satírica sobre o fascismo europeu sob a figura de Adolf Hitler, na Alemanha, e Benito Mussolini, na Itália, recebeu cinco indicações ao Oscar de 1941, incluindo Melhor Filme e Melhor Ator para Charles Chaplin. Apesar disso, o longa deixou a cerimônia sem nada.

Cena do filme 'O Grande Ditador', de Charles Chaplin.
Cena do filme 'O Grande Ditador', de Charles Chaplin.
Foto: Charles Chaplin Productions e One Production Company - Divulgação / Estadão

Mesmo assim, o primeiro filme falado de Chaplin é citado e reverenciado devido ao discurso final, no qual prega a liberdade, o amor ao próximo e a amizade acima das ditaduras. Em 1972, Chaplin recebeu o Oscar Honorário pela sua 'incalculável contribuição' com o cinema.

'Cantando na Chuva' (1952)

A comédia musical da icônica dança na chuva de Gene Kelly chegou ao Oscar de 1953 com apenas duas indicações, uma delas a Jean Hagen como Melhor Atriz Coadjuvante.

Gene Kelly durante a perfomance de 'Singing in The Rain', em 'Cantando na Chuva'.
Gene Kelly durante a perfomance de 'Singing in The Rain', em 'Cantando na Chuva'.
Foto: Metro-Goldwyn-Mayer (MGM) - Divulgação / Estadão

A atuação de Kelly foi ignorada pela Academia, assim como Debbie Reynolds, falecida em 2016, que interpretava ali seu primeiro papel principal com a simpática e inocente Kathy Selden.

O longa se tornou um dos musicais mais icônicos dos Estados Unidos e brincava com a transição do cinema mudo para o cinema falado na Hollywood dos anos 20.

'King Kong' (1933)

Objeto de exaustivas referências e remakes, o King Kong original de 1933 serve de inspiração para os filmes de monstros produzidos até os dias de hoje. Apesar da influência, o longa não recebeu nenhuma indicação ao Oscar, sendo completamente ignorado pela Academia.

Mesmo sem estatueta, a cena do gorila gigante no topo do Empire State Building, em Nova York, é uma das mais icônicas e revisitadas no cinema e televisão.

'Três Homens em Conflito' (1966)

O último filme da trilogia feita por Sergio Leone com Clint Eastwood é um clássico sobre a busca por riqueza no faroeste americano. A cena do trio de protagonistas em silêncio, no cemitério, trocando olhares suspeitos dura três minutos e é considerada uma das mais sequências mais celebradas no cinema.

Apesar do bom legado, o longa não foi notado pela Academia e passou pela premiação do Oscar sem receber indicação.

'Taxi Driver: Motorista de Táxi' (1976)

O longa de Martin Scorsese protagonizado por Robert De Niro foi nomeado a quatro Oscars: incluindo Melhor Filme, Melhor Ator, Melhor Atriz Coadjuvante e Melhor Trilha Sonora. No entanto, o longa perdeu para 'Rocky: Um Lutador', que lançou Sylvester Stallone na pele de Rocky Balboa.

'Pulp Fiction: Tempo de Violência' (1994)

Ícone pop do cinema, Pulp Fiction entra na grande leva de obras lançadas em 1994 e enfrentou uma disputa justa com 'Forrest Gump: O Contador de Histórias' pelo Oscar de Melhor Filme em 1995. Perdeu a estatueta, mas garantiu indicações também a John Travolta (Melhor Ator), Samuel L. Jackson (Melhor Ator Coadjuvante) e Uma Thurman (Melhor Atriz Coadjuvante).

Para não sair de mãos vazias, Quentin Tarantino conquistou a estatueta de Melhor Roteiro, mas não perdeu a de Melhor Direção.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade