0

“Todxs Nós” quer questionar padrões e a língua portuguesa

Série nacional da HBO deseja problematizar questões de gênero e quebrar padrões falando, em uma comédia dramática, sobre juventude e amizade

6 dez 2019
19h49
atualizado às 19h49
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Nova série nacional da HBO América Latina, “Todxs Nós” deseja levar o telespectador a questionar temáticas como identidade de gênero, racismo, relacionamentos e até a Língua Portuguesa através da relação de amizade de Rafa (Clara Gallo), Maia (Juliana Gerais) e Vini (Kelner Macêdo). A comédia dramática ambientada em São Paulo será contada em oito episódios de trinta minutos cada. A estreia acontecerá em 2020, mas a data específica não foi divulgada pelo canal.

Série "Todxs Nós" foi discutida durante a CCXP 2019.
Série "Todxs Nós" foi discutida durante a CCXP 2019.
Foto: Luiza Leão / Terra

Segundo a diretora Vera Egito, a ideia da produção surgiu em 2016, época em que ela própria começou a questionar a existência de duas caixinhas que separassem os gêneros masculino e feminino. Com o aumento desses debates, ela entendeu que era necessário escrever sobre a temática e conversar com a pluralidade de jovens brasileiro sobre as temáticas que eles mesmos vivenciam. Para isso, reuniu em uma sala pessoas diversas, para que o roteiro fosse o mais realista possível.

“Nossa sala era muito problematizadora e isso era propiciado por pessoas de lugares de fala distintos. Foi ali que criamos a personalidade desses protagonistas”, explicou Egito em entrevista coletiva realizada na CCXP, em São Paulo, nesta sexta-feira (6).

Perguntada pelo mediador Lucca Najar, homem trans militante da causa, sobre a escolha do nome da série, a diretora apontou para a evolução da Língua Portuguesa como um caminho de adaptação para as novas mudanças sobre padrões de gênero.

“O título com 'e' não existe oficialmente, mas existirá porque o idioma é vivo, uma expressão cultural que se modifica a partir da necessidade dos seus falantes. E a nossa necessidade é essa: é ter o ‘x’, o 'e’, é ter um termo neutro. A Língua Portuguesa vai mudar a partir disso. E eu acho que eu cheguei no ‘x’ porque ‘todas’ se refere às mulheres, ‘todos’ aos homens, e o 'e' às pessoas não binárias. Só que a série deseja se referir à todes. Essa série é sobre várias pessoas, sobre mulheres, sobre gays, o lugar do x”.

“Todxs Nós”

Na trama, Rafa chegará a São Paulo para morar com Vini, seu primo, no apartamento que ele divide com Maia. Os três têm personalidades bastante distintas, e é justamente essa mistura que dá à série a sua potência narrativa. Vini é ator, homossexual e é “careta”, no que diz respeito a relacionamentos.

Prefere um lugar “seguro” de um namoro fechado com o personagem interpretado por Felipe Frazão. “Meu trabalho foi fazer muitas camadas para esse personagem. Eu sou muito solar e descobri, na etapa de preparação, que o meu papel era lunar. Fui dosadamente entendendo que eu precisava transitar esses espaços”, disse Macêdo, ao comentar sobre o desafio de dar vida ao personagem.

Já Rafa, a personagem não binária (não se identifica com nenhum dos gêneros), provoca reflexões profundas sobre o local que a mulher e os homens ocupam na nossa sociedade, no que diz respeito, inclusive, à depilação. Para ela, a etapa mais difícil de dar vida ao papel foi a linguagem neutra. Nela, não se usa gêneros masculinos ou femininos, sendo o “e” inserido nas palavras. “Foi um processo foda de reflexão. A gente precisa, antes de falar, parar e pensar muita coisa. Rolam muitos questionamentos”, explicou a atriz.

Maia, por sua vez, é uma mulher negra militante, vegana, questionadora, feminista, hétero, bem-sucedida e programadora.

Veja também:

As raridades colecionáveis que enlouquecem fãs na CCXP

 

Fonte: Equipe portal
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade