PUBLICIDADE

Um a cada quatro celulares vendidos no Brasil são irregulares, diz jornalista; saiba os riscos

Colunista do Terra, Dante Baptista compartilhou dados sobre o aumento de aparelhos telefônicos irregulares no mercado brasileiro

23 mai 2024 - 17h57
(atualizado às 18h40)
Compartilhar
Exibir comentários
25% dos celulares vendidos no Brasil são fruto de contrabando, mostra levantamento de jornalista:

Um a cada quatro celulares que circulam pelo Brasil são irregulares. O levantamento é do jornalista e colunista do Terra Dante Baptista, que apresentou dados sobre o aumento da quantidade de aparelhos telefônicos sem as devidas homologações no mercado brasileiro. 

Segundo Baptista, em 2023, foram vendidos 29,7 milhões de aparelhos celulares no Brasil -- destes, 6,2 milhões não passaram por processo de homologação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e deixaram de ter impostos recolhidos ao entrar no país de forma ilegal. A informação foi compartilhada no Terra Agora desta quinta-feira, 23.

Carregamento de celulares irregulares é apreendido pela PM do MS
Carregamento de celulares irregulares é apreendido pela PM do MS
Foto: Divulgação

"A tendência é de que esse número salte para 1 a cada 3, a gente fala que Samsung é líder de mercado no Brasil, com algo em torno de 45% do mercado, a Motorola entre 27% e 28%. Hoje, o mercado 'cinza', como é chamado, ultrapassaria a Motorola pelas projeções ao longo até desse ano", diz o jornalista, ressaltando que trata-se de contrabando. 

Jornalista apresenta dados sobre aparelhos de celular irregulares no Brasil
Jornalista apresenta dados sobre aparelhos de celular irregulares no Brasil
Foto: Reprodução/Terra

Baptista destaca, também, os riscos ao usar um aparelho de celular irregular. "Primeiro é a garantia, normalmente, a indústria dá um ano de garantia para qualquer aparelho comprado no Brasil. O que a gente vê nas ofertas é uma garantia de três meses, o que não é bem uma garantia, deu um problema, o vendedor troca o aparelho, que não é elegível para a assistência técnica da fabricante". 

"O segundo é a compatibilidade com as redes brasileiras. Estamos em um momento de expansão muito forte do 5G, esses aparelhos não foram testados com as nossas redes, então não há garantia de que ele funcione no que é importante, que é a telecomunicação", aponta o jornalista. Acompanhe o programa na íntegra aqui.

O Terra Agora vai ao ar toda quinta-feira, às 17h, ao vivo na home do TerraYoutube e nas redes sociais do Terra.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade