PUBLICIDADE

Insônia aumenta risco de ataque cardíaco, aponta estudo

Análise sobre impactos da insônia analisou mais de 1 milhão de pacientes ao longo de 11 anos

28 fev 2023 - 15h15
(atualizado às 15h17)
Compartilhar
Exibir comentários
Insônia está associada a maior risco de ataque cardíaco, afirma estudo
Insônia está associada a maior risco de ataque cardíaco, afirma estudo
Foto: Unsplash

Um novo estudo publicado na revista Clinical Cardiology sugere que pessoas com insônia são mais propensas a ter um ataque cardíaco.

Pesquisadores de instituições médicas do Egito, Arábia Saudita, Paquistão e Estados Unidos definiram três principais sintomas para caracterizar o distúrbio do sono: dificuldade em adormecer; dificuldade em manter o sono; e acordar cedo e não conseguir voltar a dormir.

Dos mais de um milhão de adultos analisados ao longo de 11 anos, os 154 mil que apresentavam a insônia tinham 1,69 mais chances de terem um ataque cardíaco do que pessoas sem o distúrbio.

O estudo também mostrou que os que dormiam até cinco horas por noite tinham 1,56 vezes mais chances de um ataque do coração do que pessoas com sonos de sete ou oito horas.

Mas isso não quer dizer que mais horas dormindo será sempre positivo: os que dormem seis horas tinham  menor risco de ataque cardíaco do que os que dormiram por nove horas.

Os riscos não foram afetados por fatores como idade ou sexo e, segundo os autores, os resultados mostram que a qualidade do sono dos indivíduos deveria ser considerada como um fator primário na prevenção de doenças cardiovasculares.

Dados do Instituto do Sono mostram que aproximadamente 15% da população adulta geral de São Paulo apresenta insônia crônica. Alguns fatores que aumentam a probabilidade do distúrbio sugrir são: trabalho em turnos irregulares, estresse prolongado e uso em excesso de mídias eletrônicas.

Fonte: Redação Byte
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade