PUBLICIDADE

Tempestade solar intensa ocorre após duas ejeções de massa coronal

Duas ejeções de massa coronal emitidas pelo Sol na semana passada resultaram em uma tempestade geomagnética forte e exibições de auroras

6 nov 2023 - 21h01
(atualizado em 7/11/2023 às 11h49)
Compartilhar
Exibir comentários

Duas ejeções de massa coronal (CME) atingiram a Terra durante o fim de semana, causando uma tempestade geomagnética e o aparecimento de auroras boreais e STEVEs, um fenômeno misterioso descoberto há poucos anos. O Sol permanece em atividade moderada e há previsões de novos eventos nos próximos dias.

Foto: NASA/SOHO / Canaltech

Uma das CMEs ocorreu na quarta-feira (1º), e outra na sexta-feira (3). Elas atingiram nosso planeta no sábado (4) e domingo (5), respectivamente.

Os impactos causaram uma tempestade geomagnética de classe G3 (forte), levando auroras a regiões a latitudes mais baixas que o usual.

Ejeção de massa coronal resultante de uma erupção de filamento na manhã do dia 6 de novembro (Imagem: Reprodução/NASA/SOHO)
Ejeção de massa coronal resultante de uma erupção de filamento na manhã do dia 6 de novembro (Imagem: Reprodução/NASA/SOHO)
Foto: Canaltech

O fenômeno está diminuindo, mas ainda há alguns "surtos" previstos de tempestades da classe G1 (considerada fraca), que podem ocorrer até o final desta segunda-feira (6).

Previsões para a semana

Previsões dos especialistas sugerem que o clima espacial em nossa atmosfera vai estar calmo na terça-feira (7) e instável na quarta-feira (8). As chances para estes dias são de 25% para tempestades de classe M e 05% para classe X (a mais forte na classificação), respectivamente.

Desde o domingo, a atividade solar esteve em níveis moderados e a maior erupção foi de classificação M1.6 (média), na região ativa 3480. Houve uma série de explosões pequenas em outras das 6 regiões ativas no momento.

As regiões ativas AR3477 e AR 3480, as maiores atualmente no Sol, fotografadas na tarde de domingo (Imagem: Reprodução/Daniele Cavalcante)
As regiões ativas AR3477 e AR 3480, as maiores atualmente no Sol, fotografadas na tarde de domingo (Imagem: Reprodução/Daniele Cavalcante)
Foto: Canaltech

Por fim, uma erupção de filamento foi observada às 3h58 desta segunda-feira, causando uma CME com velocidade estimada em torno de 500 km/s e um possível golpe de raspão nos próximos dias.

Fonte: Royal Observatory of Belgium

Trending no Canaltech:

Canaltech
Compartilhar
Publicidade
Publicidade