PUBLICIDADE

Telescópio da NASA tira foto de pulsar e seus jatos de partículas

O telescópio IXPE tirou uma foto de MSH 15-52, objeto formado por um pulsar expelindo poderosos jatos de partículas e ventos, que formam uma nebulosa

31 out 2023 - 19h40
(atualizado em 1/11/2023 às 10h16)
Compartilhar
Exibir comentários

A NASA publicou uma nova foto tirada pelo telescópio Imaging X-ray Polarimetry Explorer (IXPE), especialista em raios X. Pode até parecer que a imagem mostra dedos fantasmagóricos no espaço, mas não precisa se assustar, pois trata-se apenas da nebulosa MSH 15-52, formada por ventos expelidos por um pulsar.

Foto: NASA/CXC/Stanford Univ./R. Romani et al./IXPE/JPL-Caltech / Canaltech

Os pulsares são formados por estrelas de nêutrons (restos densos de estrelas supergigantes que colapsaram) que giram rapidamente. Elas emitem fortes campos magnéticos, os quais disparam partículas altamente energéticas em jatos.

Estes jatos formam as chamadas nebulosas de ventos de pulsares, como a MSH 15-52. No caso dela, o pulsar PSR B1509-58 aparece perto do centro da foto, e os jatos criaram uma estrutura que lembra uma mão — ou, se você estiver no clima de Halloween, talvez a considere semelhante aos ossos de um esqueleto.

Confira:

Nebulosa de ventos de pulsar MSH 15-52 observada pelos telescópios IXPE e Chandra (Imagem: Reprodução/X-ray: NASA/CXC/Stanford Univ./R. Romani et al/NASA/MSFC (IXPE); Infared: NASA/JPL-Caltech/DECaPS;NASA/CXC/SAO/J. Schmidt)
Nebulosa de ventos de pulsar MSH 15-52 observada pelos telescópios IXPE e Chandra (Imagem: Reprodução/X-ray: NASA/CXC/Stanford Univ./R. Romani et al/NASA/MSFC (IXPE); Infared: NASA/JPL-Caltech/DECaPS;NASA/CXC/SAO/J. Schmidt)
Foto: Canaltech

Para produzir esta foto, o telescópio IXPE manteve seus instrumentos focados nela por 17 dias. "Todos estamos familiarizados com os raios X como uma ferramenta de diagnósticos médicos para humanos", observou a coautora Josephine Wong. "Aqui, usamos os raios X de um jeito dfierente, mas eles estão novamente revelando informações que, de outro jeito, ficariam escondidas de nós".

Já Roger Romani, autor principal do estudo que descreve as novas observações, explica que as partículas carregadas produzem os raios X e viajam pelos campos magnéticos. "Isso determina o formato básico da nebulosa, como os ossos fazem na mão de uma pessoa", disse.

As novas observações mostram como os campos magnéticos de nebulosas de vento de pulsar interagem com seus arredores. Na região que lembra um pulso humano, elas revelam um grande impulso inicial, e depois são direcionadas a áreas onde os campos magnéticos são mais uniformes.

Telescópio IXPE

Lançado em 2021, o telescópio IXPE é um observatório espacial criado para revelar os segredos de alguns dos objetos mais extremos do universo, como remanescentes de supernovas, jatos expelidos por buracos negros e mais.

Ele foi construído a partir das descobertas do telescópio Chandra, também de raios X, e de outros telescópios espaciais. A missão primária do IXPE é focada em estudos da polarização dos raios X vindos de diferentes objetos, revelando o passado deles.

O artigo com os resultados do estudo foi publicado na revista The Astrophysical Journal.

Fonte: The Astrophysical Journal; Via: NASA

Trending no Canaltech:

Canaltech
Compartilhar
Publicidade
Publicidade