PUBLICIDADE

Menor estrela de todas é 7 vezes maior que a Terra

Astrônomos acabam de descobrir a menor estrela já vista. Ela faz parte de um sistema binário com período orbital de 20,5 minutos, a 2.760 anos-luz da Terra

20 fev 2024 - 17h57
(atualizado às 21h21)
Compartilhar
Exibir comentários

Parece que a menor estrela conhecida acaba de ser encontrada. Chamada J0526B, ela fica em um sistema binário a 2.760 anos-luz da Terra, e além de ser pequena, leva apenas 20,5 minutos para completar uma volta ao redor de sua vizinha. 

Foto: Beijing Planetarium / Canaltech

A dupla faz parte do sistema TMTS J0526. Nele, está J0526B, uma sub-anã quente cujo raio é apenas sete vezes maior que o da Terra — para comparação, Júpiter tem raio 11,2 vezes maior que o do nosso planeta. Além de ser pequena, a estrela tem cerca de 30% da massa do Sol. 

Sua vizinha é J0526A, uma anã branca com aproximadamente 74% da massa do Sol e que é rica em carbono e oxigênio. Juntos, os objetos levam 20,5 minutos para se orbitar, representando o menor período orbital já observado em um sistema estelar binário. 

Anãs brancas são o núcleo que resta de estrelas que chegaram ao fim dos seus ciclos (Imagem: Reprodução/Miriam Nielsen)
Anãs brancas são o núcleo que resta de estrelas que chegaram ao fim dos seus ciclos (Imagem: Reprodução/Miriam Nielsen)
Foto: Canaltech

"Embora J0526A seja invisível ao telescópio, sabemos que existe porque, primeiro, ela é tão densa que sua força gravitacional deformou a estrutura esférica de J0526B para a de um ovo", explicaram os pesquisadores liderados por Xiaofeng Wang, professor da universidade.

Estas características marcam um novo recorde para sistemas binários como o TMTS J0526. Entretanto, vale lembrar que, quando o assunto é o período orbital, HM Cancri continua imbatível: este sistema tem duas anãs brancas, e elas levam apenas 5,4 minutos para completar uma órbita.

Os objetos inusitados foram descobertos através de observações com o telescópio Huateng Telescope for Survey, da Universidade Tsinghua, na China, e podem ajudar os cientistas a entender melhor a formação das estrelas sub-anãs. 

O artigo que descreve as descobertas foi publicado na revista Nature Astronomy

Fonte: Nature Astronomy; Via: Tsinghua University

Trending no Canaltech:

Canaltech
Compartilhar
Publicidade
Publicidade