PUBLICIDADE

Estas são as cinco primeiras fotos coloridas do telescópio Euclid

A Agência Espacial Europeia divulgou as primeiras fotos coloridas tiradas pelo telescópio Euclid, que vai estudar os mistérios da matéria escura

7 nov 2023 - 13h07
(atualizado às 17h22)
Compartilhar
Exibir comentários

As primeiras fotos coloridas tiradas pelo telescópio Euclid foram reveladas. A Agência Espacial Europeia (ESA) divulgou cinco imagens obtidas por seu novo observatório, que revelam objetos em uma grandes áreas do céu com nitidez sem precedentes.

Foto: ESA/Euclid/NASA,J.-C. Cuillandre,G. Anselmi / Canaltech

Com seus instrumentos, o Euclid pode capturar imagens detalhadas do universo na luz visível e no infravermelho. "Nunca vimos imagens astronômicas como essas antes, com tantos detalhes", comemorou René Laureijs, cientista de projeto do Euclid.

Confira as imagens no vídeo abaixo:

Segundo a ESA, as fotos mostram uma ampla área no céu com definição jamais vista antes. Além da beleza, elas indicam que o telescópio está pronto para criar o maior mapa tridimensional do universo.

No fim do ano, os membros do Consórcio Euclid vão publicar um artigo revelando as descobertas científicas proporcionadas pelos dados obtidos.

Fotos do telescópio Euclid

Confira as primeiras imagens coloridas capturadas pelo Euclid:

Aglomerado de galáxias Perseu

A foto abaixo mostra mil galáxias no aglomerado Perseu e mais de 100 mil dispersas ao fundo, sendo que a maioria delas era desconhecida. Algumas estão tão distantes que a luz delas levou 10 bilhões de anos para nos alcançar.

Aglomerado de galáxias Perseu (Imagem: Reprodução/ESA/Euclid Consortium/NASA,J.-C. Cuillandre, G. Anselmi)
Aglomerado de galáxias Perseu (Imagem: Reprodução/ESA/Euclid Consortium/NASA,J.-C. Cuillandre, G. Anselmi)
Foto: Canaltech

Esta é a primeira vez em que tantas galáxias do aglomerado são fotografadas tão detalhadamente.

Galáxia IC 342

A galáxia IC 342 foi observada no infravermelho pelo Euclid, revelando informações cruciais sobre as estrelas que existem em seus braços. A imagem abaixo foi capturada em apenas cinco horas de observação.

Galáxia IC 342 pelo telescópio Euclid (Imagem: Reprodução/ ESA/Euclid/Euclid Consortium/NASA, image processing by J.-C. Cuillandre (CEA Paris-Saclay), G. Anselmi, CC BY-SA 3.0 IGO)
Galáxia IC 342 pelo telescópio Euclid (Imagem: Reprodução/ ESA/Euclid/Euclid Consortium/NASA, image processing by J.-C. Cuillandre (CEA Paris-Saclay), G. Anselmi, CC BY-SA 3.0 IGO)
Foto: Canaltech

Como esta galáxia é vista em nossa perspectiva por trás do disco da Via Láctea, o gás, poeira e estrelas dificultam as observações dela. Por isso, ela é conhecida como Galáxia Oculta.

Galáxia NGC 6822

NGC 6822 foi a primeira galáxia anã irregular observada pelo Euclid. Ela fica a apenas 1,6 milhões de anos-luz da Terra, distância considerada curta em termos astronômicos.

Galáxia irregular NGC 6822 observada pelo Euclid (Imagem: Reprodução/ ESA/Euclid/Euclid Consortium/NASA, image processing by J.-C. Cuillandre (CEA Paris-Saclay), G. Anselmi, CC BY-SA 3.0 IGO)
Galáxia irregular NGC 6822 observada pelo Euclid (Imagem: Reprodução/ ESA/Euclid/Euclid Consortium/NASA, image processing by J.-C. Cuillandre (CEA Paris-Saclay), G. Anselmi, CC BY-SA 3.0 IGO)
Foto: Canaltech

Para mapear o universo, o Euclid vai observar a luz de galáxias a até 10 bilhões de anos-luz de nós.

Aglomerado estelar NGC 6397

O aglomerado estelar NGC 6397 aparece na foto abaixo. Ele é formado por centenas de milhares de estrelas, que se mantêm unidas pela gravidade.

Aglomerado estelar NGC 6397 em foto do Euclid (Imagem: Reprodução/ ESA/Euclid/Euclid Consortium/NASA, image processing by J.-C. Cuillandre (CEA Paris-Saclay), G. Anselmi, CC BY-SA 3.0 IGO)
Aglomerado estelar NGC 6397 em foto do Euclid (Imagem: Reprodução/ ESA/Euclid/Euclid Consortium/NASA, image processing by J.-C. Cuillandre (CEA Paris-Saclay), G. Anselmi, CC BY-SA 3.0 IGO)
Foto: Canaltech

Localizado a cerca de 7.800 anos-luz da Terra, o NGC 6397 é considerado o segundo aglomerado estelar mais perto da Terra.

Nebulosa da Cabeça de Cavalo

Por fim, o Euclid observou ainda a Nebulosa da Cabeça de Cavalo. Ela fica a cerca de 1.375 anos-luz de nós e é a região de formação estelar mais próxima da Terra.

Nebulosa Cabeça de Cavalo observada pelo telescópio Euclid (Imagem: Reprodução/ ESA/Euclid/Euclid Consortium/NASA, image processing by J.-C. Cuillandre (CEA Paris-Saclay), G. Anselmi, CC BY-SA 3.0 IGO)
Nebulosa Cabeça de Cavalo observada pelo telescópio Euclid (Imagem: Reprodução/ ESA/Euclid/Euclid Consortium/NASA, image processing by J.-C. Cuillandre (CEA Paris-Saclay), G. Anselmi, CC BY-SA 3.0 IGO)
Foto: Canaltech

Esta nebulosa já foi fotografada por vários outros telescópios, como o Hubble, mas nenhum deles capturou uma imagem tão ampla e nítida como esta do Euclid.

O telescópio Euclid

Lançado em julho, o Euclid foi ao espaço para uma missão de seis anos dedicada à criação de um mapa tridimensional do universo. Para isso, o telescópio vai determinar os formatos e distribuição de bilhões de galáxias e aglomerados estelares a até 10 bilhões de anos-luz, buscando pistas sobre a matéria e energia escuras.

Durante a missão, o Euclid vai capturar imagens de grande nitidez de várias partes do céu na luz visível e infravermelha. Já a matéria e energia escuras vão ser estudadas com a ajuda de lentes gravitacionais, que acontecem quando objetos massivos ampliam a luz daqueles ao fundo.

Fonte: ESA

Trending no Canaltech:

Canaltech
Compartilhar
Publicidade
Publicidade