PUBLICIDADE

Destaque da NASA: ano bissexto e Júlio César na foto astronômica do dia

O destaque da NASA hoje traz uma moeda com a figura de Júlio César, que reformou o calendário para incluir o 29º dia em fevereiro em anos bissextos

29 fev 2024 - 15h18
(atualizado às 18h45)
Compartilhar
Exibir comentários

Uma moeda romana está na foto astronômica destacada pela NASA nesta quinta-feira (29). O objeto pode até parecer inusitado, mas foi escolhido por um motivo especial: a moeda mostra Júlio César, general que reformou o sistema de calendários em 46 a.C. 

Foto: Classical Numismatic Group, Inc., Wikimedia / Canaltech

Devido à orientação do astrônomo Sosígenes de Alexandria, o chamado calendário juliano passou a incluir um dia bissexto a cada quatro anos. A mudança foi um ajuste necessário devido ao ano terrestre, que não dura exatamente 365 dias. 

Moeda com figura de Júlio César e de Vênus, a deusa romana do amor (Imagem: Classical Numismatic Group, Inc., Wikimedia)
Moeda com figura de Júlio César e de Vênus, a deusa romana do amor (Imagem: Classical Numismatic Group, Inc., Wikimedia)
Foto: Canaltech

Na verdade, nosso planeta leva 365,24219 dias para completar uma volta ao redor do Sol. Então, se o calendário tivesse 365 dias, acabaríamos desalinhados 1 dia a cada 4 anos em relação ao ano terrestre. 

O calendário juliano evitou este problema com o acréscimo de um dia em fevereiro a cada quatro anos, mas causou outro: o ano passou a ter 365,25 dias, levando ao desalinhamento no calendário de 11,2 minutos.

Para resolver isso, em 1582 o Papa Gregório XIII determinou que os anos bissextos não aconteceriam naqueles que não terminassem em 00, a menos que fossem divisíveis por 400. E assim continuamos até hoje!  

Por que existe ano bissexto 

Se o ajuste no calendário não fosse feito acabaríamos em uma situação para lá de complicada. Veja só: sem o 29º dia de fevereiro a cada quatro anos, cada ano acabaria começando cerca de seis horas mais cedo em relação à órbita da Terra ao redor do Sol.  

O resultado disso é que nosso cálculo do tempo ficaria desalinhado de pouco a pouco, afetando a sincronia com as estações do ano. Com a diferença de seis horas por ano, as estações iriam mudar em 24 dias a cada 100 anos; em poucos séculos, o hemisfério norte estaria celebrando o Natal no meio do verão!

Se você não é um grande entusiasta dos anos bissextos, não se preocupe. As interações do sistema Terra-Lua desaceleram a rotação do nosso planeta, fazendo com que os dias fique 1,4 milissegundos mais longos a cada século. Portanto, em cerca de 4 milhões de anos, não vamos mais precisar de anos bissextos. 

Fonte: APOD

Trending no Canaltech:

Canaltech
Compartilhar
Publicidade
Publicidade