PUBLICIDADE

Cometa 12P/Pons-Brooks entra em erupção pela 3ª vez em cinco meses

Um astrônomo amador tirou novas fotos do cometa 12P/Pons-Brooks, que sofreu uma nova explosão no fim de outubro e ficou quase 100 vezes mais brilhante

9 nov 2023 - 13h49
(atualizado às 17h34)
Compartilhar
Exibir comentários

Mais uma erupção foi registrada no cometa 12P/Pons-Brooks (12P). O fenômeno foi o segundo registrado em um só mês, e conferiu ao cometa estruturas alongadas que lembram o formato de chifres. A nova erupção sugere que o 12P está ficando mais vulcanicamente ativo conforme viaja ao interior do Sistema Solar.

Foto: Comet Chasers/Students do St Mary's Primary School Bridgend / Canaltech

A nova erupção foi identificada no fim de outubro pelo astrônomo amador Eliot Herman, que notou que o cometa passou a brilhar quase 100 vezes mais que o comum. "No Halloween, a 'explosão do diabo' aconteceu com uma grande emissão que continuou até o dia seguinte", relatou ele.

Os astrônomos observaram o cometa 12P sofrer sua

primeira explosão em 69 anos no dia 20 de julho

, que tornou seu coma milhares de vezes maior que o núcleo. Depois, em outubro, foi registrada uma erupção ainda mais intensa nele. Quando o 12P/Pons-Brooks entra em erupção, seu coma forma as estruturas alongadas que lembram chifres.

As erupções acontecem devido ao grande núcleo do cometa, que mede 17 quilômetros de diâmetro e tem uma espécie de entalhe em sua superfície. A estrutura bloqueia o fluxo de criomagma que seguiria ao espaço, e faz com que o coma fique com formato irregular.

O cometa 12P/Pons-Brooks

O 12P é um cometa formada por um núcleo sólido que, em seu interior, tem gelo, gás e poeira. Este núcleo é cercado pelo chamado coma, uma nuvem difusa de materiais que escaparam do interior do cometa.

Além disso, o 12P/Pons-Brooks é um cometa criovulcânico. As erupções acontecem porqe a luz do Sol aquece seu interior, fazendo com que a pressão ali aumente até romper a estrutura do núcleo. Quando isso acontece, estruturas congeladas do cometa são expelidas ao espaço, deixando eu coma mais brilhante em nossa perspectiva.

Em sua órbita elíptica, o 12P se aproxima do Sol e depois é lançado para longe no Sistema Solar externo. Ele vai chegar ao periélio (ponto de maior proximidade do Sol em abril de 2024, ficando a 116,7 milhões de quilômetros do astro. Em junho, o cometa vai fazer sua aproximação máxima da Terra, passando por 231,9 milhões de quilômetros do nosso planeta.

Fonte: SpaceWeather

Trending no Canaltech:

Canaltech
Compartilhar
Publicidade
Publicidade