PUBLICIDADE

Chikungunya tem sintomas parecidos com os da dengue e também pode matar

Menos conhecida, a febre Chikungunya é uma doença que pode provocar mortes. Na hora do diagnóstico, a infecção é, muitas vezes, confundida com a dengue

29 fev 2024 - 20h43
(atualizado em 1/3/2024 às 09h50)
Compartilhar
Exibir comentários

A dengue não é a única doença transmitida pelo Aedes aegypti e outros mosquitos do mesmo gênero. Na verdade, esses insetos podem transmitir também a zika, a febre amarela e a chikungunya. Em relação a esta última doença, pesquisadores e médicos alertam sobre o risco da infecção pelo vírus CHIKV, potencialmente mortal.

Foto: Koldunov/Envato / Canaltech

Apesar das complicações que a febre chikungunya pode causar, falta conhecimento e informação sobre a doença para a comunidade científica internacional, como explica André Ricardo Ribas Freitas, cientista e professor de epidemiologia e bioestatística na Faculdade de Medicina São Leopoldo Mandic. 

Hoje, a Organização Mundial da Saúde (OMS) ainda considera que "sintomas graves e mortes por chikungunya são raros e geralmente estão relacionados a outros problemas de saúde coexistentes". Para o especialista, esses conceitos precisam ser revistos, com base em novos achados científicos. 

Mortes por chikungunya

A partir de diferentes estudos, "vimos que o vírus CHIKV, causador da febre chikungunya, leva a uma mortalidade muito maior que o vírus da dengue, inclusive em pacientes previamente saudáveis e jovens", pontua Freitas, em artigo para a plataforma The Conversation.

Desde a descoberta do vírus na Tanzânia, inúmeras mortes e surtos foram relatados no mundo, incluindo a Ilha da Reunião (localizada no Oceano Índico), Caribe, República Dominicana, Porto Rico e Brasil.

Exemplo brasileiro

"No Brasil, identificamos um excesso de 6.346 mortes durante as epidemias de chikungunya de 2015 e 2016 em Pernambuco, Bahia e Rio Grande no Norte", afirma Freitas, com base em um estudo publicado na PLOS Currents. Entretanto, só foram confirmados apenas 69 óbitos oficiais por chikungunya nestes estados. O surto foi muito mais letal do que o documentado.

Confusão com a dengue

Talvez, um dos problemas relacionados com a falta de atenção que a chikungunya recebe em relação à dengue esteja relacionado com a confusão entre os sintomas das duas doenças.

Para os profissionais de saúde, é bastante complexo distinguir clinicamente as infecções, conhecidas por causar febre e dor nas articulações. A situação fica mais difícil quando ocorre a circulação simultânea dos dois vírus na mesma região, o que pode demandar a necessidade de exames específicos.

Sintomas da chikungunya

Os sintomas da chikungunya se parecem com os da dengue:

  • Febre
  • Dores intensas nas articulações
  • Dor de cabeça
  • Dor atrás dos olhos
  • Dores musculares
  • Náuseas e vômitos
  • Manchas vermelhas pelo corpo
  • Prurido (coceira)
  • Diarreia e/ou dor abdominal
  • Dor de garganta
  • Conjuntivite não-purulenta
Chikungunya e dengue provocam sintomas semelhantes, mas é preciso saber como diferenciá-las (Imagem: James Gathany/CDC)
Chikungunya e dengue provocam sintomas semelhantes, mas é preciso saber como diferenciá-las (Imagem: James Gathany/CDC)
Foto: Canaltech

Diante desse cenário, "a mudança de paradigma do chikungunya de uma doença não fatal para uma causa de morte excessiva é fundamental para proteger a saúde pública e salvar vidas", reforça o cientista Freitas.

De acordo com o Ministério da Saúde, vírus chikungunya ainda pode causar doenças neuroinvasivas, isto é, com comprometimento neurológico. Dentre elas, pode-se citar encefalite, mielite, meningoencefalite, síndrome de Guillain-Barré, síndrome cerebelar, paresias, paralisias e neuropatias.

Quais são os melhores repelentes para se proteger da dengue? Quais são os melhores repelentes para se proteger da dengue?

Vacina contra chikungunya 

Por enquanto, ainda não existe tratamento específico contra a infecção pelo vírus CHIKV. De forma semelhante ao que ocorre com a dengue, costumam ser prescritos medicamentos para alívio dos sintomas e suporte clínico para as complicações.

Recentemente, cientistas do Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica franco-suíça Valneva desenvolveram uma potencial vacina contra a chikungunya, a Ixchiq, de dose única. Desde o final do ano passado, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) analisa os documentos enviados para autorizar o uso do imunizante, o que pode mudar os rumos da doença no Brasil.

Fonte: The ConversationOMS, Ministério da Saúde e PLOS Currents  

Trending no Canaltech:

Canaltech
Compartilhar
Publicidade
Publicidade