PUBLICIDADE

Ex-namorada denuncia filho caçula de Lula por agressão psicológica

A mulher, que preferiu não se identificar, denunciou Luís Claudio Lula da Silva após descobrir mais de 30 traições

2 abr 2024 - 16h38
(atualizado às 21h03)
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
Uma ex-namorada de Luis Claudio Lula da Silva denunciou-o por agressão psicológica, e a mulher contou que descobriu mais de 30 traições no celular do ex.
Foto: Reprodução/Instagram/@luisclaudioluladasilva

Uma ex-namorada de Luís Claudio Lula da Silva, filho caçula do presidente Lula, o denunciou por agressão psicológica, nesta terça-feira, 2. A informação foi inicialmente veiculada pelo portal Metrópoles e confirmada pelo Terra com a ex-companheira de Luís Claudio.

A mulher, que preferiu não ser identificada, disse ter descoberto mais de 30 traições no celular do ex. Os dois até entraram em uma espécie de luta corporal -- ela, para pegar o aparelho; ele, para impedir que ela acessasse o telefone --, mas ela afirma que não houve agressão física.

"São as violências psicológicas que pegaram. Essas são as que me matam", afirmou.

Segundo a mulher, os dois não estão mais juntos desde que ela descobriu as traições. A ex conta que Luís Claudio assumiu o relacionamento com uma de suas amantes.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP) confirmou que a mulher, de 29 anos, registrou um boletim de ocorrência contra seu companheiro, de 39 anos. Os crimes listados são: violência doméstica, ameaça, vias de fato, violência psicológica contra a mulher e injúria. A denúncia foi feita na Delegacia da Mulher Online.

"As ações teriam tido início em janeiro deste ano. As investigações foram encaminhadas para a 1ª Delegacia de Defesa da Mulher (DMM), que prossegue com as diligências com o objetivo de esclarecer os fatos", complementa a pasta.

Na noite desta terça-feira, a defesa do filho de Lula emitiu um posicionamento sobre o caso. Confira:

"Na condição de Advogada de Luís Cláudio Lula da Silva, tomamos conhecimento das fantasiosas declarações que teriam sido proferidas pela médica, atribuindo ao nosso cliente inverídicas e fantasiosas agressões, cujas mentiras são enquadráveis nos tipos dos delitos de calúnia, injúria e difamação, além de responder por reparação por danos morais, motivos pelos quais serão tomadas as medidas legais pertinentes", diz a nota assinada pela advogada Carmen Silva Costa Ramos Tannuri.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade