PUBLICIDADE

Por que é tão difícil parar de consumir queijo?

O consumo de queijo é uma prática antiga e altamente viciante, neste artigo veremos quais as causas e as consequências desse consumo.

25 jan 2023 - 05h00
Compartilhar
Exibir comentários
Queijos
Queijos
Foto: CanvaPro

O queijo é um produto antigo, segundo o periódico da UFC, os egípcios foram um dos primeiros povos a criar gado e produzir queijo. Na Europa, os gregos foram os primeiros a produzirem queijo, porém, com o leite de cabras e ovelhas, e não de vaca.

O queijo é um produto feito a partir do coalhamento e da fermentação do leite, e por ser agradável ao paladar e viciante, é consumido no mundo todo. Ao longo do tempo a produção foi se aprimorando, as técnicas evoluindo e hoje em dia os queijos são totalmente diferentes dos principiantes.

O queijo ser antigo, saboroso e apresentar técnicas sofisticadas não significa que não seja problemático e questionável. O principal problema do consumo de queijo está na exploração animal. Para ser possível produzir queijo, é preciso uma produção de leite em larga escala, envolvendo muita exploração de vacas-leiteiras. Além disso, o queijo é um produto altamente gorduroso e pouco saudável.

Afinal, o que causa esse vício, por que as pessoas gostam tanto de queijo? Em todo restaurante que vamos há muitas opções de queijo, praticamente toda comida em fast food, pizzaria acompanha opções com queijo, é realmente uma sociedade viciada.

O produto animal mais difícil de ser retirado da alimentação sem dúvida é o bendito queijo. As nossas receitas de queijo caseiro à base de alimentos vegetais, como a castanha, são as mais solicitadas. Porém, os queijos vegetais não são tão viciantes quanto os queijos de origem animal.

O que explica esse vício é a presença de uma proteína contida no leite animal, chamada caseína, presente em abundância no queijo. A caseína é importantíssima para a produção de queijos, e no leite de vaca contém cerca de 38,4% de caseína. Segundo o portal PRODAP, as proteínas representam em torno de 4% dos sólidos encontrados no leite.

Segundo um estudo realizado por pesquisadores, foi constatado que a caseína tem a mesma reação que a cocaína e outras drogas no cérebro. O trabalho dos pesquisadores de Michigan explica de maneira mais específica: ‘’essa substância pode inflamar os receptores opioides do cérebro, produzindo uma sensação de euforia bem parecida com a dependência de drogas.’’

As vacas-leiteiras em fazendas industriais passam uma vida medíocre, sem sentido e submetidas a técnicas de inseminação artificial, são impedidas de manter relações prolongadas com os seus filhotes, em alguns casos, os filhotes são separados para virar carne de vitela, e em outros são vendidos para salsicheiros. Por isso, o vício em queijo é um problema não só para a saúde das pessoas em si, mas para esses animais responsáveis pela produção de leite.

Pega a visão:

Falar de consumo de queijo é importante por muitos fatores, mas é inegável que esse é um produto desejo por todas as classes sociais, e o acesso é dificultado para a maioria da população.

Podemos escutar algo do tipo: ‘’agora que consegui arrumar uma graninha para comprar queijo, vocês pedem para repensar o consumo’’.

Realmente, é uma questão importante, pois as propagandas incentivam esse consumo, e todo mundo quer comprar e consumir, e questionar esse consumo, pensar nas vacas-leiteiras e entender que é um produto viciante, para as classes mais baixas é um processo mais difícil.

Vegano Periférico Leonardo e Eduardo dos Santos são irmãos gêmeos, nascidos e criados na periferia de Campinas, interior de São Paulo. São midiativistas da Vegano Periférico, um movimento e coletivo que começou como uma conta do Instagram em outubro de 2017. Atuam pelos direitos humanos e direitos animais por meio da luta inclusiva e acessível, e nos seus canais de comunicação abordam temas como autonomia alimentar, reforma agrária, justiça social e meio ambiente.
Compartilhar
Publicidade
Publicidade