PUBLICIDADE
URGENTE
Saiba como doar qualquer valor para o PIX oficial do Rio Grande do Sul

A importância do veganismo no combate às mudanças climáticas

A criação de animais em larga escala é responsável pela maior parte do desmatamento, poluição e destruição ambiental

23 fev 2023 - 15h52
(atualizado em 24/2/2023 às 11h35)
Compartilhar
Exibir comentários
Animais Pastando
Animais Pastando
Foto: CanvaPro

O aquecimento global é um fenômeno natural, responsável por alterações nos padrões de temperatura e clima. No entanto, esse processo de aquecimento vem ocorrendo de maneira acelerada por conta das ações humanas, sobretudo a partir do século 18, com a revolução industrial e mecanização da natureza.

Um dos maiores problemas que enfrentamos atualmente é a emissão de gases de potencial efeito estufa. O efeito estufa nada mais é do que uma camada de gases que envolve o Planeta: gás carbônico (CO²), óxido nitroso (N²O), metano (CH4) e vapor d’água.

O efeito estufa não é o vilão, ele é um mecanismo importante para a preservação e manutenção da vida no Planeta Terra, pois sem esse fenômeno, a Terra provavelmente seria muito fria, impossibilitando a vida.

Toda radiação que chega na Terra ou é refletida de volta para o espaço ou retida. É importante haver um equilíbrio na absorção, pois a quantidade é fundamental para manter a temperatura ideal.

O problema consiste na quantidade de gases de efeito estufa presentes na atmosfera e na grande quantidade de retenção de calor que esses gases apresentam, como o metano, com grande capacidade de reter o calor da radiação. As atividades humanas são responsáveis pela emissão dos GEEs, como é o caso da queima de combustíveis fósseis. Mas a principal atividade, sem sombra de dúvidas, é a pecuária.

Os ruminantes (vacas, bois) são os principais responsáveis pela produção de gás metano (CH4), por meios dos puns e arrotos, o metano é um gás com alta capacidade de absorção de calor. As fezes dos animais também são maléficas e contribui para o aquecimento global, pois elas emitem óxido nitroso (N²0), gás de efeito estufa.

Vacas
Vacas
Foto: CanvaPro

Além disso, a exploração animal, por meio da pecuária, é responsável pela destruição de florestas, desmatamento em larga escala e compactação dos solos, tornando-os pobres, altamente erosivos e com baixa capacidade de infiltração, sem a presença de vegetação. Uma área desertificada não tem capacidade de reter os gases lançados na atmosfera, prejudica o ciclo natural da água e não colabora com o processo natural de reflexão da radiação.

O bioma Cerrado está sendo devastado pelo agronegócio. A principal atividade do agronegócio no Cerrado é a monocultura de grãos, essencialmente soja, destinados à alimentação animal (ração). Esse bioma, conhecido como o berço das águas, abriga as três principais bacias hidrográficas do país, e é essencial para o combate às mudanças climáticas.

Com abundância de gases de efeito estufa lançados na atmosfera, cria-se uma camada mais resistente, com maior capacidade de retenção de calor e, consequentemente, um aumento no aquecimento global.

As mudanças climáticas provocam eventos meteorológicos extremos, como grandes ondas de calor, secas prolongadas, temporais, chuvas torrenciais, granizo, frio extremo e tempestades devastadoras, que provocam deslizamentos de terra, inundações e enchentes.

E quem são as pessoas mais afetadas? As populações socialmente mais vulneráveis. Um exemplo, são as famílias afetadas pelas fortes chuvas ao Norte de São Paulo, que estão desabrigadas. O excesso de chuva em São Paulo, provavelmente tem relação direta com as mudanças climáticas.

Moradores desabrigados
Moradores desabrigados
Foto: CanvaPro

O processo de efeito estufa seria menos intensificado se diminuíssemos bruscamente a criação de animais em larga escala, e ocorresse uma melhor distribuição de terras para plantar culturas vegetais diversas e não apenas destinada à monocultura de soja e outros grãos utilizados na produção de ração.

O veganismo tem como principal proposta a abolição da exploração animal, o que é completamente positivo para combater o aquecimento global, pois menos animais sendo utilizados como mercadorias, significa menor emissão de gases na atmosfera, menos pastos e mais áres verdes e, consequentemente, menos desmatamento, poluição e desastres ambientais.

As mudanças climáticas atuais são completamente prejudiciais para a vida no Planeta Terra, por isso, repensar toda a cadeia de produção, o consumo e a comercialização de animais é fundamental. Do contrário, veremos nossa espécie se decompor enquanto saboreamos um lanche com carne e queijo em uma rede de fast food.

Vegano Periférico Leonardo e Eduardo dos Santos são irmãos gêmeos, nascidos e criados na periferia de Campinas, interior de São Paulo. São midiativistas da Vegano Periférico, um movimento e coletivo que começou como uma conta do Instagram em outubro de 2017. Atuam pelos direitos humanos e direitos animais por meio da luta inclusiva e acessível, e nos seus canais de comunicação abordam temas como autonomia alimentar, reforma agrária, justiça social e meio ambiente.
Compartilhar
Publicidade
Publicidade