PUBLICIDADE
Rafa Brites e os filhos  Foto: Reprodução Redes Sociais / Instagram / @rafabrites / Reprodução Redes Sociais / Instagram / @rafabrites

Rafa Brites: 'A vida do filho não é propriedade da mãe'

Apresentadora conta por que decidiu diminuir a exposição da vida dos filhos nas redes sociais: 'Temos que pensar no futuro'

Imagem: Reprodução Redes Sociais / Instagram / @rafabrites / Reprodução Redes Sociais / Instagram / @rafabrites
  • Júlia Flores Júlia Flores
Compartilhar
11 mai 2024 - 05h00
(atualizado em 13/5/2024 às 20h38)

Desde a primeira gravidez, a abordagem de Rafa Brites com maternidade ganhou as redes sociais. "Quando engravidei do Rocco, comecei a produzir bastante conteúdo sobre a maternidade. Falei sobre o meu parto, amamentação, numa época em que eu realmente não conhecia ninguém que falava dessa maneira, pelo menos ninguém que trabalhava na TV", lembra a apresentadora em entrevista ao Terra.

Os filhos, Rocco, 7, e Leon, 2, cresceram. E Rafa se viu pensando sobre o grau de exposição deles. "As minhas questões da maternidade hoje não partem todas de mim. Elas partem muito de demandas que vem deles. E eu não acho justo expor para milhões de outras pessoas questões de outro ser", diz. 

Rafa Brites decidiu então não expor nada que possa invadir a privacidade dos filhos. "Muitas vezes as mães acham que, por serem mães ou por serem pais, a vida daquela pessoa está na propriedade delas. E não é. Talvez no futuro seu filho não queira abrir a internet e ver uma foto dele fazendo xixi, uma foto dele chorando, fazendo uma cena de birra".

Isso não significa deixar de falar de maternidade. A apresentadora passou a postar fotos de hábitos familiares. "A gente tomando café da manhã, a gente numa foto em uma viagem, mas nada de questões privadas de cada um". A regra é: quando o tema está relacionado unicamente a ela mesma, não há problema em postar.

"Algumas mães perderam a mão"

Segundo a apresentadora, a iniciativa de limitar o que o público sabe sobre seus filhos é consequência da exposição que outras mulheres dão a seus filhos nas redes sociais. "Cheguei a essa conclusão vendo situações muito deselegantes na internet, com as quais não concordo". A apresentadora dá como exemplo mulheres que filmam os filhos chorando: "Acho que a gente tem que se colocar no lugar da criança". 

A influenciadora defende que a criança deve ser tratada como indivíduo e tenha sua privacidade preservada, da mesma maneira que um adulto gostaria.

Você, se estiver chorando por algo sério, quer que alguém te filme e poste? Acho que não, né?

Quando estava grávida, Rafa Brites não teria problema em fazer publicidade. Mas, segundo ela, naquele momento a decisão contemplava apenas o seu bem-estar. Com uma criança, a propaganda envolve a vida de outra pessoa. "Com um bebê eu não faço. Não quero atrelar meu bebê a uma marca. Nunca fiz". 

A apresentadora defende a obrigatoriedade de um alvará para publicidade com crianças na internet, nos mesmos moldes que acontece na TV. "Um juiz vê se aquela criança está saudável, se não faltou aula, se ela quer fazer aquilo, se está sendo exposta". 

"Temos diferentes fases na maternidade"

Rafa conta que está em uma fase "caseira": "Quero chegar em casa e me jogar no sofá com eles"
Rafa conta que está em uma fase "caseira": "Quero chegar em casa e me jogar no sofá com eles"
Foto: Reprodução Redes Sociais / Instagram / @rafabrites / Reprodução Redes Sociais / Instagram / @rafabrites

Rafa Brites conta que tem vivido uma fase mais caseira ao lado dos filhos, mas reforça que isso se deve a uma vontade dela. "Olho para os meus filhos que estão em uma fase tão rica que tem que ser um programa muito rico para eu deixar de aproveitar essa noite com eles", admite.  

Mesmo assim, a apresentadora reforça que vive um momento. Ela tenta levar aos seus seguidores a ideia de que não é uma mulher estática e que cada uma deve reconhecer com genuinidade a fase em que está, sem a influência dos outros. 

"Acho que quando a gente tem opiniões muito contundentes sobre tudo, você pode se contradizer em pouco tempo, porque nós somos de fases. Teve fases que eu quis ir em todos os blocos de Carnaval que eu pude. Fui em sete blocos, sendo mãe. No último Carnaval eu fui em um. E fiquei 10 minutos, porque eu não estava com aquela vontade. Eu não posso chegar e falar 'mãe, você tem que ir para o Carnaval' ou 'mãe, você não pode ir para o Carnaval, porque cada mulher está passando por uma fase". 

Na luta pela divisão do "cuidado"

Felipe Andreoli e a família. Rafa considera relação com marido "uma parceria e não uma cobrança"
Felipe Andreoli e a família. Rafa considera relação com marido "uma parceria e não uma cobrança"
Foto: Reprodução Redes Sociais / Instagram / @rafabrites / Reprodução Redes Sociais / Instagram / @rafabrites

O perfil de Rafa Brites nas redes sociais a descreve como uma influenciadora de jornadas que encoraja mulheres a serem independentes e audaciosas. A apresentadora conta que um de seus objetivos é levar autoconhecimento para que as mulheres entendam se estão "agindo de maneira autônoma ou sofrendo uma pressão da sociedade". 

De acordo com a apresentadora, a dificuldade de tomar decisões sobre o que a mulher realmente quer está diretamente relacionada à um ambiente machista que fortalece o medo de julgamento, encaixada no que ela chama de "economia do cuidado". 

"São as mulheres que cuidam das crianças, dos idosos, do filho com neurodiversidade, de um filho com deficiência. E isso as deixa fora da economia, porque elas não são remuneradas por isso (...) A gente precisa saber como a gente vai retribuir além de um coração de Dia das Mães, de uma musiquinha fofa, como é que a gente retribui essas mulheres para elas ficarem equilibradas dentro da economia, também com esse serviço que é o cuidado. Ou a divisão de serviço".

A apresentadora disse que se sente amparada por seu marido nessa divisão. "Obviamente tem questões estruturais. Então se eu saio e deixo ele sozinho com os dois, fico ansiosa pensando 'ai ele tá sozinho'. O que eu tenho feito como exercício é perguntar para ele: 'quando eu estou sozinha com os dois, você também se sente assim'"? De acordo com a influenciadora, o jornalista Felipe Andreoli sente o mesmo que ela. 

Rafa Brites defende que durante o processo de criação, os pais discutam como estão se sentindo em relação às suas responsabilidades. "Essa minha questão com ele é muito mais de uma parceria do que uma cobrança". E isso também significa reconhecer a importância de cada um. 

Não acho que seja uma questão de deixar de elogiar os homens pelos serviços deles. É nós também sermos elogiadas e entendermos que os dois estão fazendo um cuidado especial

Rede de apoio

Rafa Brites é embaixadora da CoPai, que defende a necessidade de estender a licença-paternidade de forma remunerada e obrigatória. "Temos que falar de parentalidade e rede de apoio", diz. A influenciadora diz que a licença parentalidade contribui para a equidade de gênero. 

Para finalizar, Rafa alerta para o perigo de se comparar com algumas figuras maternas das redes sociais. "Muitas influenciadoras mostram um estilo de vida como se estivessem dando conta de tudo sozinhas. Quem está do outro lado da tela se compara com aquela onipresença daquela mulher". Mas a realidade nem sempre é assim.

A apresentadora, por exemplo, tem uma equipe de pessoas que trabalham para ela, na qual deposita total confiança. Além disso, Rafa Brites reforça o amparo que tem de sua sogra, que segundo ela tem sido cada vez mais presente na vida das crianças, e de seus pais, que vão cuidar dos filhos no período em que o casal vai viajar ao Japão. "Temos que ficar alertas a esse modelo de super-mulher que a gente tem na internet comparando com uma realidade diferente daquela que é mostrada".

Fonte: Redação Terra Você
PUBLICIDADE