0

Como Hamilton transformou a vitória impossível em realidade

Lewis Hamilton agora é 7 vezes campeão mundial de F1, como Michael Schumacher. Chegou lá em sua melhor vitória porque respeitou 3 regras

15 nov 2020
10h12
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Lewis Hamilton, sete vezes campeão mundial de Fórmula 1: vitória genial na Turquia.
Lewis Hamilton, sete vezes campeão mundial de Fórmula 1: vitória genial na Turquia.
Foto: Mercedes-AMG / Twitter

Não foi apenas uma das 94 vitórias de Lewis Hamilton. Foi simplesmente a melhor. Lewis chegou ao seu sétimo título mundial na Fórmula 1 seguindo à risca a regra básica para qualquer piloto: respeite o limite do carro, respeite o limite da pista, respeite o seu próprio limite.

Somente três pilotos respeitaram o limite do carro, o limite da pista e o próprio limite no GP da Turquia: Lewis Hamilton, Sergio Perez e Sebastian Vettel. Não por acaso, foram os três que subiram ao pódio da histórica corrida de Istambul, com a pista melecada de água com resto de piche. E Hamilton foi o melhor dos três.

Lewis Hamilton à frente de Sergio Perez: paciência e respeito aos limites do carro e da pista.
Lewis Hamilton à frente de Sergio Perez: paciência e respeito aos limites do carro e da pista.
Foto: Mercedes-AMG / Twitter

Lewis sobreviveu ao inferno dos pneus de chuva que se desgastam e se adaptou muito bem aos intermediários carecas, quase slick. Foi notável a superioridade técnica e tática de Lewis Hamilton sobre o resto do grid da F1 em 2020. Que piloto! Ficou pacientemente atrás de Vettel porque seria arriscado tentar passar o piloto da Ferrari. Só o fez quando não havia risco.

A corrida poderia ser de Max Verstappen, que era o mais rápido da pista. Mesmo tendo largado muito mal, Max estava consistente e alcançaria os carros da Racing Point, que lideravam. Foi precipitado. Não respeitou o limite da pista. 

Lewis chora dentro do carro ao chegar no parque fechado: vitória era impossível.
Lewis chora dentro do carro ao chegar no parque fechado: vitória era impossível.
Foto: Mercedes-AMG / Twitter

A corrida poderia ser de Lance Stroll, que fez a pole e liderava. Lance chegou a contestar a ordem dos boxes para trocar pneus quando era o líder, mas faltou-lhe carisma para não aceitar a troca. Era mais lento que Sergio Perez e Lewis Hamilton naquela altura, mas poderia ter ficado na pista e se defender.

No finalzinho da prova, a Mercedes avisou Hamilton que havia previsão de chuva para a última volta (o que não ocorreu). Havia tempo para trocar de pneus e voltar à frente de Perez. Mas Lewis respeitou seu próprio limite ao ponderar que poderia rodar na entrada dos boxes e jogar tudo fora. Ficou na pista e venceu.

Sebastian Vettel, que seguiu as mesmas regras, foi o primeiro a cumprimentar o heptcampeão.
Sebastian Vettel, que seguiu as mesmas regras, foi o primeiro a cumprimentar o heptcampeão.
Foto: Mercedes-AMG / Twitter

Na última curva, Charles Leclerc, que fez bela corrida de recuperação, tentou ganhar o segundo lugar de Perez. Não respeitou o limite da pista e do carro. Escapou e acabou perdendo também um lugar no pódio para Sebastian Vettel.

Enquanto Lewis Hamilton correu todas as voltas respeitando o limite do carro, o limite da pista e o seu próprio limite, pois era impossível controlar o carro em algumas situações, seu colega de equipe na Mercedes, Valtteri Bottas, rodava… e rodava… e rodava.

Mercedes W11 de Lewis Hamilton nunca foi o mais rápido na Turquia, mas ele soube vencer.
Mercedes W11 de Lewis Hamilton nunca foi o mais rápido na Turquia, mas ele soube vencer.
Foto: Mercedes-AMG / Twitter

Lewis Hamilton venceu sua 94ª corrida na F1. Lewis Hamilton agora é sete vezes campeão mundial de Fórmula 1 (2008, 2014, 2015, 2017, 2018, 2019 e 2020). Seus números são os maiores da história e só comparáveis, proporcionalmente, com os do argentino Juan Manuel Fangio, cinco vezes campeão (1951, 1954, 1955, 1956 e 1957). Lewis Hamilton é o piloto que transforma vitórias impossíveis em realidade.

Hamilton e Schumacher são exterminadores de gerações na F1

 

Veja também:

Mesa redonda virtual: lições do GP da Turquia
Parabólica
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade