PUBLICIDADE

Daniel Alves chora em depoimento e alega que não forçou nenhum tipo de relação

Jogador disse que sexo foi consensual e declara que não é violento

7 fev 2024 - 17h22
(atualizado em 8/2/2024 às 09h15)
Compartilhar
Exibir comentários
Daniel Alves afirmou que bebeu cerca de duas garrafas de vinho, um copo de uísque e uma rodada de gim tônica
Daniel Alves afirmou que bebeu cerca de duas garrafas de vinho, um copo de uísque e uma rodada de gim tônica
Foto: Lance!

O ex-jogador Daniel Alves prestou depoimento nesta quarta-feira (7), diante do julgamento do caso de abuso sexual, no qual é acusado. Segundo o lateral, ele não forçou a menina a fazer sexo e que toda a relação foi consensual.

Daniel Alves: o que se sabe sobre o julgamento do ex-jogador Daniel Alves: o que se sabe sobre o julgamento do ex-jogador

Conforme o depoimento de amigos, Daniel Alves confirmou que estava com eles desde a parte da tarde até a noite. O ex-jogador disse que, no dia, fazia muito tempo que ele não via seus amigos. Além disso, ele afirmou que bebeu cerca de duas garrafas de vinho, um copo de uísque e uma rodada de gim tônica.

"Sai com meus amigos para comer juntos. Era umas 14h30. A princípio íamos só comer. Fazia muito tempo que não nos víamos, então ficamos mais tempo. Pedimos 5 (garrafas) de vinho, um uísque, um saquê. (Tomei) mais ou menos uma e meia, duas garrafas de vinho, um copo de uísque. Depois de sair do restaurante, fomos direto ao bar. Ficamos aí um tempo, tomando uma rodada de gim tônica", relatou Daniel.

Após disso, eles foram para a boate Sutton, onde supostamente aconteceu o crime. Segundo Daniel, só ficou ele e Bruno, e os outros amigos foram para casa. Eles chegaram por volta de 2 a 3 da manhã.

"Quando saímos daí, nós fomos ao Sutton. Eu e Bruno seguimos, os outros foram para casa. Entre 2 a 3 da manhã. Eu entrei na discoteca e os funcionários me levaram para a reserva da mesa 6. Depois pedi para trocar para a 7 porque a 6 estava longe da pista de dança", contou Daniel.

Depois de se acomodar na boate, segundo Daniel, Bruno foi quem chamou as meninas para a mesa deles, e que ele e a menina haviam dançado de forma respeitosa.

"Quando chegamos na sala reservada, estávamos eu e Bruno dançando e seguimos por um tempo. Estavam duas meninas lá e ficaram por um tempo. Bruno que chamou as meninas. Um garçom trouxe o champanhe que havíamos pedido. Dançávamos bem próximos, de forma respeitosa. Sim, acho que elas sabiam que era eu porque mais de uma vez me pediram para tirar foto", relatou.

Daniel disse no depoimento que ele e a menina começaram a "dançar mais próximo", até que ele assume que colocou a mão na parte íntima dela. Neste momento, ele a chamou para o banheiro e ela havia aceitado.

"Ficamos dançando pegado. Por um tempo a dançar mais próximo, começou a roçar suas partes nas minhas. Coloquei a mão e quando começou a pressão sexual, falei para ir ao banheiro, e ela disse que tudo bem. Não falou nada", declarou o atleta.

Agora no banheiro, o jogador disse que todos os atos foram consensuais. Ele ressaltou que em nenhum momento forçou ela a fazer sexo oral e que ela não havia dito nada.

"Baixei as calças, sentei no vaso sanitário, ela se ajoelhou e começou a me fazer sexo oral. Ela estava na minha frente e começamos a relação. Lembro que ela sentou em mim. Não sou um homem violento. Não a forcei a praticar sexo oral forçadamente. Ela não me disse nada. Estávamos desfrutando os dois e nada mais."

Daniel Alves diz se recordar apenas de quando chegou em casa e que soube das acusações por meio da impresa, já que teve seus contratos rompidos e contas bloqueadas. Ao fim do depoimento, o ex-jogador chorou e bebeu um pouco de água.

"Quando cheguei em casa, lembro que ela (a esposa Joana Sanz) estava em casa na cama e dormi na sequência. Sim, estou dizendo o mesmo que das outras vezes. Soube pela imprensa que estavam me acusando", contou Daniel.

Após o depoimento de Daniel Alves, a promotoria convidou a denunciante a dpor novamnte. A jovem reforçou que o ex-jogador agiu de forma violenta e que "viveu uma situação de terror".

Lance!
Compartilhar
Publicidade
Publicidade