PUBLICIDADE

Nadal joga futebol e incentiva meninas no mundo dos esportes

O "encontro" entre o tenista e a jogadora mirim Duda foi exibido no intervalo do Roland Garros e aconteceu por computação gráfica

31 mai 2021 09h00
| atualizado às 11h00
ver comentários
Publicidade

Para incentivar a participação de mais meninas nos esportes, e às vésperas dos Jogos Olímpicos de Tóquio, Rafael Nadal, o maior tenista de todos os tempos, fez embaixadinhas na quadra de tênis e jogou futebol com Maria Eduarda Abreu, a “Duda”, uma personagem da vida real apaixonada por esportes, mas que sonha ser jogadora de futebol profissional.

Rafael Nadal faz embaixadinha na quadra em filme que fala sobre a participação das mulheres nos esportes, e a importância de seguirem seus sonhos.
Rafael Nadal faz embaixadinha na quadra em filme que fala sobre a participação das mulheres nos esportes, e a importância de seguirem seus sonhos.
Foto: Reprodução

O encontro entre Nadal e Duda faz parte da nova campanha da Vivo, que conta a história de uma garota incentivada pelo pai a praticar tênis, mas que na verdade sonha em ser jogadora de futebol. Rafael Nadal entra na história para incentivar Duda a viver seu próprio sonho. “Este filme é sobre deixar florescer seu talento e sua paixão, é sobre a importância de abrir caminhos para que as meninas possam fazer suas escolhas com confiança”, diz Marina Daineze, diretora de Marca e Comunicação da Vivo.

Com o objetivo de mostrar a importância da representatividade feminina nos esportes, a Vivo quer que as meninas da nova geração vejam no futebol feminino uma possibilidade de profissão e de um futuro. A empresa é patrocinadora da seleção feminina de futebol desde 2005.

Quem é a Duda
Nascida em 2009, Duda joga desde os quatro anos e já passou por grandes times. Vivendo em uma família que respira futebol, ela começou a treinar em escolinhas de clubes aos 6 anos de idade e, após participar de uma peneira, em 2019, atualmente joga em um clube paulistano e participa de diversos campeonatos de futebol. “Ganhei respeito e admiração por ser uma menina jogando futebol. Agora eles me veem como uma boa jogadora, mas já sofri bullying algumas vezes por ser a única no meio de tantos meninos em uma partida de futebol. Mas agora eles também querem estar no meu time”, conta Duda.

Por mais meninas nos esportes
Dados do Ministério do Esporte mostram que os meninos começam a praticar seu esporte preferido a partir dos seis anos de idade, enquanto as meninas iniciam suas práticas esportivas apenas a partir dos 11 anos. De acordo com informações da Women’s Football MAs Survey Report 2019, da FIFA, o Brasil tem cerca de 15 mil jogadoras de futebol registradas por clubes. Destas, 475 têm menos de 18 anos.   

Com o objetivo de fomentar o diálogo sobre esse tema, a Vivo pretende estimular as conversas relacionadas ao esporte feminino nas redes sociais e, como isso, fortalecer a discussão sobre o empoderamento feminino nos esportes durante as Olimpíadas.

 

Fonte: Equipe portal
Publicidade
Publicidade