PUBLICIDADE

Brasileiros prejudicados? Eliminação de judoca gera debate

A eliminação da gaúcha Maria Portela, no judô, causou indignação de ex-atletas e reacendeu as críticas à arbitragem olímpica

29 jul 2021 14h13
| atualizado às 14h59
ver comentários
Publicidade

O choro da judoca gaúcha Maria Portela, na última quarta-feira, após a eliminação com atuação polêmica da abritragem, que não assinalou um wazari em favor da brasileira e ainda encerrou a luta por falta de combatividade, gerou indignação e muitos debates a respeito da conduta de parte dos árbitros nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

Muitos também recordaram da eliminação de Gabriel Medina, em que os juízes também foram alvo de críticas pela discrepância entre as notas do brasileiro e do japonês com o qual ele competia por uma vaga à final.

O choro da judoca gaúcha Maria Portela gerou comoção entre os torcedores.
O choro da judoca gaúcha Maria Portela gerou comoção entre os torcedores.
Foto: Sergio Perez / Reuters

A decisão de encerrar o combate punindo a brasileira com shido foi considerada controversa por torcedores e também por ex-atletas da modalidade, pois as judocas estavam lutando por quase 15 minutos somando o tempo regulamentar de 4 minutos e mais o Golden Score.

Se esta decisão já não fosse suficientemente questionável, o wazari não anotado para Maria mesmo após a revisão da arbitragem fez com que surgissem novamente questionamentos sobre decisões de juízes e árbitros em Tóquio.

Para muitos especialistas do judô, que se posicionaram nas redes sociais, o golpe aplicado por Maria Portela foi sem dúvidas um wazari, que é a pontuação quando o judoca coloca parte das costas do seu oponente no solo.

“Nunca gostei de falar da arbitragem, mas meu Deus o que foi essa luta? Wazari não marcado e uma punição muito injusta!”, disse o ex-judoca João Derly, bicampeão mundial de judô em 2005 e 2007.

"Não darem o wazari pra Portela... pra que serve o VAR? Francamente. Lamentável", escreveu o ex-judoca Flávio Canto, medalhista de bronze em Atenas 2004.

"Uma vida dedicada ao sonho olímpico, e o árbitro após 10 minutos de Golden Score definir a luta dessa forma. Deixa os atletas decidirem. Sem contar o Wazari que foi nítido antes. Força Maria Portela, você é nossa vencedora", disse o judoca Luciano Correa, que foi campeão mundial em 2007.

Para entender toda a repercussão dessa polêmica, assista ao Boletim Olímpico Terra!

Brasil prejudicado? Eliminação de judoca gera debate:

 

Fonte: Equipe portal
Publicidade
Publicidade