PUBLICIDADE

Itália fará reunião para decidir se ajoelhará contra racismo

Capitão da seleção diz que conversa entre jogadores servirá para definir se eles farão manifestação em duelo com a Áustria pela Eurocopa

25 jun 2021 16h56
| atualizado às 19h18
ver comentários
Publicidade

Os jogadores da seleção italiana ainda não decidiram se vão ajoelhar-se no estádio de Wembley durante partida contra a Áustria, neste sábado, como um sinal de solidariedade com o movimento "Black Lives Matter" ("Vidas Negras Importam", em português) e contra a discriminação racial.

Seleção italiana enfrentará a Áustria neste sábado pelas oitavas de final da Eurocopa
Seleção italiana enfrentará a Áustria neste sábado pelas oitavas de final da Eurocopa
Foto: EPA / Ansa - Brasil

Durante coletiva de imprensa, o capitão da Itália, Leonardo Bonucci, explicou que a decisão será tomada somente após uma reunião com a equipe nesta noite. "Quando voltarmos para o hotel teremos todos juntos uma reunião. Conversaremos hoje à noite e decidiremos o que fazer", afirmou.

O técnico da seleção italiana, Roberto Mancini, por sua vez, foi questionado em entrevista exclusiva à RaiSport e não quis falar sobre o assunto, mas ressaltou que, de qualquer maneira, não seria contrário a este tipo de manifestação. "Ajoelhar-se amanhã antes do jogo com a Áustria? Não quero falar nisso e, de qualquer modo, sou pela liberdade", enfatizou o treinador.

Uma resposta dos italianos tem sido aguardada sobre o ato principalmente depois que a maioria dos atletas não se ajoelhou antes da vitória sobre País de Gales pela Eurocopa. Na ocasião, somente Emerson Palmieri, Andrea Belotti, Rafael Tolói, Matteo Pessina e Federico Bernardeschi participaram do protesto antirracista do "Black Lives Matter".

O time de Mancini foi alvo de diversas críticas, e o porta-voz da seleção da Itália, Paolo Corbi, precisou declarar que todos os jogadores da equipe são contra o racismo. Neste sábado, a Itália enfrentará a Áustria, às 16h (de Brasília), pelas oitavas de final da competição. O capitão austríaco, David Alaba, inclusive, já anunciou que seu time se ajoelhará em solidariedade com o movimento antirracismo.

"Ajoelhar é um sinal claro. Voltaremos a fazer contra a Itália. Todos concordamos e repito: este é um sinal para atrair a atenção de todos para este tema. Certamente se fala mais de racismo e é algo positivo", afirmou Alaba.

A Federação Austríaca de Futebol, no entanto, informou que não comunicou o pedido para os atletas se ajoelharem ao protocolo da Uefa, mas as palavras do capitão foram interpretadas como um "ok" ao gesto.

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade