PUBLICIDADE

Atlético de Madrid supera o Barcelona e quebra tabu de 10 anos no Espanhol

Carrasco marcou o único gol da partida no final do primeiro tempo, driblando Ter Stegen no meio de campo

21 nov 2020
19h57 atualizado às 19h58
0comentários
19h57 atualizado às 19h58
Publicidade

Sem ser brilhante, mas seguro defensivamente e eficiente no ataque, o Atlético de Madrid superou o Barcelona por 1 a 0 neste sábado, no estádio Wanda Metropolitano e quebrou um tabu de 10 anos sem derrotar o rival catalão pelo Campeonato Espanhol. Carrasco marcou o gol que assegurou o triunfo em Madri.

Único time invicto na competição, o Atlético de Madrid foi aos 20 pontos e divide a liderança da liga espanhola com a Real Sociedad, que entra em campo no domingo, diante do Cádiz e pode voltar a liderar o torneio de forma isolada. De qualquer forma, a equipe madrilenha aparece abaixo, na vice-liderança, porque perde no critério de desempate.

Acostumado a ostentar marcas positivas, o Barcelona derrapa neste início de temporada e está muito longe dos líderes. O time catalão venceu apenas uma vez nas últimas seis partidas e aparece somente no décimo lugar, com 11 pontos. Para piorar, pode descer ainda mais na tabela de classificação ao final da décima rodada.

A noite foi especial para o técnico Diego Simeone. O treinador conquistou a primeira vitória contra o Barcelona no Campeonato Espanhol desde que chegou aos "Colchoneros", em 2012. O comandante argentino já havia vencido duas vezes pela Liga dos Campeões e uma pela Supercopa da Espanha.

Em um jogo movimentado e equilibrado nos primeiros 45 minutos, fez diferença a favor do time de Madri um vacilo inexplicável do goleiro Ter Stegen. Melhor em campo, os anfitriões contaram com um erro técnico do goleiro alemão para abrirem o placar no último lance da etapa inicial. Na jogada, Carrasco foi lançado em profundidade, o arqueiro saiu muito mal da área, foi driblado, e deixou o gol aberto para o meio-campista marcar.

Na volta do intervalo, em vantagem, o Atlético fez o que mais sabe fazer: se defender. Foi seguro, deu poucos espaços para o Barça atacar e saiu de campo sem ser vazado. Mesmo com vários meias e atacantes a partir das entradas de Trincão, Philippe Coutinho e Braithwaite, a equipe catalã mostrou pouca inspiração, fruto, também, da atuação discreta de Messi. O craque argentino se movimentou, buscou o jogo, mas não teve uma noite feliz. Para piorar, Piqué saiu lesionado.

ESTREIA COM DERROTA

O técnico Eduardo Coudet não teve a estreia esperada no comando do Celta de Vigo. Neste sábado, a equipe do ex-treinador do Internacional, que preferiu deixar o então líder do Brasileirão para assumir o clube espanhol, mal colocado na tabela do Espanhol, foi derrotada por 4 a 2 pelo Sevilla, fora de casa.

No estádio Ramón Sánchez-Pizjuán, o Celta até chegou a ficar à frente do placar ao conseguir uma virada no primeiro tempo, com 2 a 1. No entanto, o Sevilla se impôs, empatou no final da primeira etapa e definiu o resultado no segundo tempo.

O time da Andaluzia é o sétimo colocado, com 13 pontos, e briga por uma vaga nas copas europeias. Já Coudet terá muito trabalho no Celta, visto que a equipe de Vigo ocupa a 19ª e penúltima colocação, com apenas sete pontos.

Estadão
Publicidade
Publicidade