PUBLICIDADE

Daniel Alves é condenado por agressão sexual pela Justiça da Espanha

A sentença de quatro anos e meio foi divulgada na manhã desta quinta-feira (22). Daniel Alves já cumpriu um ano e um mês em prisão preventiva

22 fev 2024 - 09h09
(atualizado às 09h24)
Compartilhar
Exibir comentários
Daniel Alves é condenado a 4 anos e meio de prisão na Espanha -
Daniel Alves é condenado a 4 anos e meio de prisão na Espanha -
Foto: JORDI BORRAS/POOL/AFP via Getty Images / Esporte News Mundo

O jogador Daniel Alves, de 40 anos, foi condenado por agressão sexual pela Justiça da Espanha. A sentença foi divulgada na manhã desta quinta-feira (22) e determinada pela juíza Isabel Delgado Pérez, da 21ª Seção da Audiência de Barcelona. Daniel Alves foi condenado a quatro anos e meio de prisão. Vale destacar que cabe recurso da decisão para ambas as partes.

Daniel Alves: da acusação de estupro à condenação de 4 anos e 6 meses de prisão Daniel Alves: da acusação de estupro à condenação de 4 anos e 6 meses de prisão

A pena ocorreu em razão da agressão sexual a uma jovem de 23 anos, nos banheiros de uma boate, na capital catalã. Os juízes da 21ª Seção aceitaram o relato da vítima sobre os eventos e consideraram provado que o ex-jogador do Barcelona e da Seleção Brasileira teve relações sexuais "com uso de violência" e "sem consentimento".

Para saber mais sobre o Futebol Internacional, siga o Esporte News Mundo no InstagramTwitter, e Facebook.

O Ministério Público da Espanha fez o pedido inicialmente de nove anos de prisão para o ex-jogador. Depois elevou para 12 anos, a pena máxima para casos de estupro na Espanha. No entanto, a Justiça Espanhola considerou uma questão que auxiliou Daniel Alves a ter a pena reduzida: a reparação de danos. Já  que ele pagou os 150 mil euros (cerca de R$ 800 mil) em indenização solicitada pelo MP.

Também foi imposto a Daniel Alves um período de cinco anos em liberdade vigiada, que será cumprido depois da pena na prisão. O jogador já cumpriu um ano e um mês em prisão preventiva. Ele deverá se manter afastado da casa ou do local de trabalho da denunciante por pelo menos um quilômetro e não ter mais contato com ela.

Daniel Alves não esteve presente durante a leitura da sentença, que contou com a presença da promotora, Elizabeth Jiménez; a advogada da vítima, Ester García; e a advogada de Daniel, Inés Guardiola. Após deixar o tribunal, a defesa disse que vai recorrer da sentença.

Caso Daniel Alves: quem foram as principais testemunhas do julgamento Caso Daniel Alves: quem foram as principais testemunhas do julgamento

Esporte News Mundo
Compartilhar
Publicidade
Publicidade