PUBLICIDADE

Copa do Catar

Copa: por combate à homofobia, capitães correm risco de começar jogos com cartão amarelo

Seleções que pretendem abraçar o movimento 'One Love' são informadas pela Fifa que podem receber 'sanções esportivas'

21 nov 2022 - 07h39
(atualizado às 08h19)
Compartilhar
Exibir comentários
Seleção da Inglaterra pode ser primeira ser punida (Foto: Divulgação/FA)
Seleção da Inglaterra pode ser primeira ser punida (Foto: Divulgação/FA)
Foto: Lance!

As seleções de Inglaterra, País de Gales, Holanda, Dinamarca, Bélgica, Alemanha e Suíça foram informadas pela Fifa que correm o risco de receberam "sanções esportivas" na Copa do Mundo.

A punição inclui cartão amarelo para os capitães que utilizarem a braçadeira nas cores do arco-íris, como forma de apoio ao combate à homofobia. As informações foram divulgadas inicialmente pelo The Telegraph.

A princípio, as federações de futebol acreditavam que enfrentariam apenas uma multa, mas existe a possibilidade real de seus capitães recebam cartões amarelos como punição por "equipamentos inadequados". Ou seja, em caso de duas advertências nas duas primeiras rodadas da fase de grupos, os capitães estariam suspensos para a terceira e última rodada de seus respectivos grupos.

A Inglaterra será a primeira a enfrentar o dilema dentro de campo e o atacante Harry Kane corre o risco de ser punido. Os ingleses entram em campo nesta segunda-feira, às 10h, contra o Irã, pela partida de estreia do Grupo B. Dessa forma, a FA (Associação de Futebol da Inglaterra), já entrou em contato com outras nações europeias para decidir o que fazer. Se os jogadores forem punidos, aumenta a possibilidade de a braçadeira ser trocada pela oficial da Fifa.

Durante entrevista coletiva na véspera da partida contra Senegal, também nesta segunda-feira, o capitão holandês Virgil van Dijk afirmou que vai utilizar a braçadeira de capitão nas cores do arco-íris e questionou a possibilidade de ser punido com o cartão amarelo.

"Eu vou usar a braçadeira da "One Love" amanhã. Nada mudou do nosso ponto de vista. Se eu receber um cartão amarelo por usá-la, teremos que discutir isso porque não gosto de jogar enquanto estou em um (cartão) amarelo", disse o capitão holandês.

A homossexualidade é considerada crime no Qatar. Segundo a "sharia", a lei em vigor em vários países com população predominantemente muçulmana, a prática homossexual para homens ou mulheres prevê penas como apedrejamento e sete anos de prisão.

Lance!
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade