PUBLICIDADE
Logo do Botafogo

Botafogo

Favoritar Time

CEO do Botafogo promete denunciar erros de arbitragem ao Ministério Público

Relatório de empresa contratada por Textor é base para reclamação: 'Início para que o Ministério Público entenda que há problema na arbitragem brasileira'

27 nov 2023 - 13h10
(atualizado às 13h10)
Compartilhar
Exibir comentários
Thairo Arruda, CEO do Botafogo
Thairo Arruda, CEO do Botafogo
Foto: Vitor Silva/Botafogo / Esporte News Mundo

Após encomendar um estudo sobre erros de arbitragem no Campeonato Brasileiro, o Botafogo fará uma denúncia ao Ministério Público sobre supostos favorecimentos a clubes no país. Thairo Arruda, CEO do clube, garantiu que isto será realizado.

- Quando ele (Textor) trouxe o relatório de todas essas partidas, entendemos que há um desbalanceamento dos erros, talvez um viés a favor do Palmeiras. Quando você analisa os erros ponto a ponto talvez não se enxergue isso, mas se olhar o contexto consegue entender que todas as vezes o favorecimento é de um lado e os erros são do outro. A arbitragem brasileira é bastante contestada, mas será que é igual para todos? Estamos percebendo que há um viés, vamos acionar o Ministério Público em breve para poder fazer uma denúncia formal e deixar as investigações a cargo do Ministério Público do Brasil - afirmou.

- Isso é um início para que o Ministério Público entenda que há um problema na arbitragem brasileira e leve isso adiante. Em relação à Ferj, eu louvo a iniciativa que o Rubinho (presidente) fez. Ele adorou o relatório da empresa, ela analisa lance por lance e dá o veredito se foi a marcação correta ou não. Ele pediu o contato e está fazendo isso para que o Campeonato Carioca seja pioneiro nesses relatórios, que tenha lisura, que tenha melhora na arbitragem - explicou Thairo.

John Textor contratou a Good Game!, uma empresa francesa, que indicou que o Alvinegro deveria ter 21 pontos a mais que o Palmeiras na competição em caso de "resultados reais". A empresa presta serviço para organizações responsáveis e autoridades policiais, além de desenvolver métodos e softwares para identificar deficiências comportamentais e biomecânicas relacionadas à manipulação de resultados e à arbitragem.

Esporte News Mundo
Compartilhar
Publicidade
Publicidade