PUBLICIDADE

McLaren MCL38: um carro que seja o que seus pilotos merecem

Após uma segunda metade de 2023 de volta ao grupo da frente, McLaren espera que o MCL38 seja o salto definitivo para brigar por vitórias

15 fev 2024 - 15h19
Compartilhar
Exibir comentários
McLaren MCL38: no foto, não é o definitivo. Mas a equipe espera bons resultados
McLaren MCL38: no foto, não é o definitivo. Mas a equipe espera bons resultados
Foto: McLaren Racing

Se tem uma equipe que tem grandes expectativas para a temporada 2024 da F1 é a McLaren. O time terminou a temporada passada se posicionando no grupo da frente, até mesmo cruzando bigodes com a Red Bull (embora possa se questionar a combatividade de Norris perante Verstappen, mas...).

Após um pacote de atualizações trazido à altura do GP da Áustria, Norris e Piastri passaram a fazer parte do grupo da frente. O estreante Piastri confirmou a expectativa que se fazia dele desde a base, inclusive vencendo a Sprint Race do Catar. Já Norris cresceu no conceito, querendo mostrar que pode sim ser considerado um piloto de ponta.

Para a McLaren é mais um passo no processo iniciado anos atrás de reestruturação e que quase levou à quebra do time em 2020. Zak Brown seguiu com um processo agressivo na área comercial e a exposição aumentou bastante, aumentando a arrecadação.

Mas o importante: o investimento na fábrica valeu a pena. Sem contar que um fator preocupante não impactou: a saída de Andreas Seidl da chefia da equipe (foi comandar a Sauber na preparação para a assunção da Audi) abiu espaço para a promoção de Andrea Stella. O espanhol ocupou a vaga e conseguiu impor seu estilo, que foi primordial na consolidação de 2023.

Na parte técnica, a reestruturação interna também deu frutos. A saída de James Key, que comandou a concepção dos últimos 3 carros do time, deu margem a uma nova estrutura, onde o trabalho em grupo foi mais valorizado. Neil Oatley, técnico que está na McLaren desde 1987, veio coordenar uma equipe composta por gente da casa.

Mas para 2024, as perspectivas são mais animadoras: o novo túnel de vento já está operacional no MTC, o que permitirá o trabalho próximo, não tendo mais que haver contínuos deslocamentos até a Alemanha, onde está localizado o túnel de vento da Toyota. Além disso, Rob Matthews e David Sanchez, ex Red Bull e Ferrari, respectivamente, se juntaram ao time em janeiro.

O MCL38 (de volta ao sequencial no nome após a homenagem aos 60 anos de fundação do time em 2023), carro a ser usado pelo time em 2024, já teve sua parte final de desenvolvimento sendo feita “dentro de casa”. Embora as fotos escondam algumas coisas, usa como base sim o MCL60 que terminou 2023. O pacote básico continua o mesmo, mas algumas coisas chamaram a atenção.

Deliberadamente, a McLaren optou por não mostrar algumas partes do carro. Tanto nas fotos quanto no shakedown, algumas partes estavam desfocadas ou não alinhadas. Mas notou-se que a entrada de ar está mais estreita ainda e se entrou na linha de fazer uma lateral mais estreita. Porém, uma ideia trazida pela Mercedes em 2022 e 2023 foi aproveitada: o uso da estrutura anti-intrusão (SIS) como elemento aerodinâmico. No caso, a McLaren optou por carenar esta peça e usar na entrada das laterais.

Em relação a suspensões, sem grandes modificações. Cabe lembrar que, desde 2022, a McLaren foi a única que usou a mesma filosofia do que a Red Bull (pullrod na frente e pushrod atrás). Lembrando que, mesmo sendo cliente da Mercedes, a McLaren optou por fazer sua própria caixa de câmbio. Isso deu uma maior liberdade à equipe de Woking tratar o seu pacote técnico.

A fala de Andrea Stella deixou muita gente de orelha em pé. Ele declarou que algumas partes do MCL38 que apareceram agora não são as definitivas, pois o time ainda está trabalhando no desenvolvimento de algumas áreas e espera que o ritmo de atualização ao longo do ano seja mais acelerado. O objetivo sim é consolidar os ganhos de 2023 e efetivamente brigar no grupo da frente em 2024.

Parabólica
Compartilhar
Publicidade
Publicidade