0

Jardim com restos mortais de Yves Saint Laurent dá colorido a Marrakech

13 dez 2013
08h07
  • separator
  • 0
  • comentários

Marrakech é uma cidade de apenas uma cor: todas as construções da cidade levam uma tonalidade avermelhada, algo entre o salmão e o ocre. No entanto, um pequeno recanto da sede do Mundial de Clubes de 2013 quebra essa característica da região e dá uma um aspecto maravilhoso ao turista: o Jardin Majorelle, onde foram espalhadas as cinzas do corpo do estilista francês Yves Saint Laurent, cinco anos trás.

Construído no início do século passado pelo pintor francês Jacques Majorelle (filho do marceneiro e designer modernista Louis Majorelle), o Jardin foi inaugurado em 1947 e adquirido em 1980 por Yves Saint Laurent e seu então companheiro, Pierre Bergé – evitando que o lugar fosse transformado em um grande hotel. Até hoje, o local pertence à Fundação Pierre Bergé – Yves Saint Laurent.

O Majorelle se denomina “um dos mais misteriosos jardins do século 20”, e não é à toa. As cores amarelo, azul e verde que dominam o local contrastam com as plantas das mais variadas formas, originárias dos quatro cantos do mundo - são mais de 300 espécies. "Uma miragem psicodélica no meio do deserto", descreve o guia de viagem Lonely Planet. O realce principal da flora no colorido recanto marroquino é a coleção de cactos, com diferentes formatos, tamanhos e texturas – a maioria deles, naturais de desertos sul-americanos, da Argentina ao Peru.

Impressionante, expressivo e com uma forte energia, o Jardin Majorelle também era um recanto onde Yves Saint Laurent costumava se recolher para buscar inspiração. O local conta também com uma galeria do artista francês: uma pequena sala onde estão expostos diversos desenhos e pôsteres assinados pelo estilista, todos com a palavra “Love” (amor, em inglês). Saint Laurent morreu em junho de 2008, aos 71 anos, e as cinzas de seu corpo foram espalhadas pelo Majorelle.

<p>Pintado de azul e amarelo, Museu Berbere foi montado no antigo estúdio do pintor Jacques Majorelle</p>
Pintado de azul e amarelo, Museu Berbere foi montado no antigo estúdio do pintor Jacques Majorelle
Foto: Felipe Held / Terra

O principal jardim botânico de Marrakech ainda possui em suas dependências o Museu Berbere, que mostra a história e a cultura das tribos que habitaram o norte do continente africano. Montado no antigo estúdio de pintura de Jacques Majorelle e inaugurado em 2011, o museu possui uma extensa coleção de artigos confeccionados pelo povo dessa etnia, desde ferramentas e utensílios de agricultura até roupas, joias e armas.

O Majorelle é aberto todos os dias, com horários que variam de acordo com a época do ano: inverno, verão ou o mês do Ramadã. A entrada para o jardim custa 50 dirhams marroquinos (aproximadamente R$ 15), enquanto o tíquete para o museu sai por 25 dirhams.

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade