3 eventos ao vivo

Cosméticos à base de café? Veja inovação de empresária

Filha de cafeicultores aproveita as propriedades benéficas do grão e monta empresa de produtos de beleza no interior de Minas Gerais

14 jul 2015
07h00
atualizado às 09h41
  • separator
  • comentários

Com uma produção de 49 milhões de sacas de 60 kg em 2013, o Brasil é o maior produtor de café do mundo, respondendo por mais de um terço dos grãos que circulam pelo mundo, segundo dados da Associação Brasileira da Indústria do Café (Abic). A grande maioria desses grãos é usada pela indústria alimentícia, mas em meados dos anos 2000 uma farmacêutica do interior de Minas Gerais descobriu uma forma alternativa e inovadora de utilizar esse patrimônio econômico brasileiro: produzir cosméticos à base de café.

Entenda mais sobre o mundo das franquias

Vanessa Vilela nasceu em uma tradicional família de cafeicultores no município de Três Pontas, no sul de Minas Gerais, e se graduou em Farmácia. Apesar da formação, ela não queria se distanciar do negócio da família, que planta café há seis gerações, e começou a procurar uma forma de unir a tradição familiar com os conhecimentos adquiridos na faculdade. 

Vanessa Vilela criou a Kapeh para unir sua formação em Farmácia com a tradição familiar no cultivo do café
Vanessa Vilela criou a Kapeh para unir sua formação em Farmácia com a tradição familiar no cultivo do café
Foto: Cintia Duarte / Divulgação

Como sempre quis atuar com cosméticos, Vanessa passou a buscar pesquisas sobre o uso do café nesta área, mas não encontrou quase nada. Assim, ela resolveu desenvolver seus próprios estudos para destrinchar a composição química do grão. “Encontramos muitas substâncias antioxidantes, que combatem o envelhecimento, e também flavonoides, que fazem a proteção solar. Sem falar na cafeína, que ajuda a queimar gordura e evita queda de cabelo”, enumera a empresária.

Com estas informações em mãos, Vanessa desenvolveu uma linha de cosméticos à base de café e, em 2007, fundou uma empresa para comercializar seus produtos, a Kapeh. Inicialmente, o catálogo se resumia a sabonete em barra e líquido; hidratantes corporal, para mãos e para pés; e óleo de banho. “Como era algo pioneiro, sempre tivemos o ônus de desbravar o mercado, pois as pessoas desconfiavam que o café poderia resultar em um bom produto. Além disso, estávamos em um mercado dominado por gigantes, o que torna as coisas ainda mais difíceis”, conta Vanessa.

Produtos da Kapeh são vendidos em mais de 200 pontos no país, e exportados para países como Portugal e Holanda
Produtos da Kapeh são vendidos em mais de 200 pontos no país, e exportados para países como Portugal e Holanda
Foto: Divulgação

De Minas para o mundo
Aos poucos, porém, a resistência das pessoas foi ficando para trás, e hoje a Kapeh conta com um catálogo de 120 produtos e está presente em mais de 200 pontos de venda, espalhados por 18 estados brasileiros. “Nossos produtos são vendidos em lojas multimarcas, cafeterias, farmácias. Também contamos com duas lojas próprias e duas franqueadas em Minas Gerais, e estamos prestes a inaugurar uma terceira franquia em São Paulo”, afirma a empreendedora.

Para completar, a Kapeh está começando a desbravar o mercado externo, e já exportou para países como Portugal e Holanda. “Por ser à base de café, é um produto que remete muito ao Brasil e ainda é pouco explorado lá fora”, destaca Vanessa, acrescentando que a empresa cresceu 30% no último ano e emprega mais de 150 pessoas direta e indiretamente.

Fonte: PrimaPagina

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade