1 evento ao vivo

Modelo exportador de soja faz PIB nacional subir

25 dez 2013
07h13
  • separator
  • 0
  • comentários

A soja é o principal grão produzido no País e principal item de exportação brasileira, tendo uma grande participação no Produto Interno Bruto (PIB) nacional. Segundo dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), de janeiro a novembro de 2013, o complexo soja (que envolve o grão de soja e seu subprodutos, como farelo e óleo), teve uma participação na balança comercial do agronegócio brasileiro de 32,4% e no total das exportações, de 13,7%.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no segundo trimestre de 2013, o setor agropecuário foi o que mais influenciou a alta do PIB brasileiro, com o crescimento de 3,9% em relação ao primeiro trimestre. O grande destaque foi a safra da soja, que teve sua área plantada aumentada em 10,8%. Segundo o consultor em agronegócio, Flávio Roberto de França Junior, o segundo trimestre é quando acontece a maior parte da exportação de soja, que inicia em março e vai até agosto. Em setembro e outubro, o volume vai diminuindo. “A soja é colhida de fevereiro até o início de maio e comercializada durante o ano. Não se pode analisar a relação da soja com o PIB trimestre a trimestre, pois o agronegócio é sazonal. É preciso comparar safra contra safra”, explica.

Para o consultor, o modelo exportador de soja brasileiro influencia positivamente no PIB nacional. “O PIB é a soma das riquezas de um país e a soja é o principal item em valor bruto de produção (volume de soja multiplicado pelo preço) e está crescendo cada vez mais. O produto lidera a pauta de crescimento nacional há muitos anos, crescendo em produtividade e comércio”.

De acordo com dados de França, a projeção do complexo soja até o final de 2013 engloba números recordes, tanto em volume de produção quanto em valores, com aumento da participação na exportação. “A previsão desse ano deve fechar em 57,9 milhões de toneladas embarcadas. É um número recorde. O aumento é de 18% em relação ao ano passado, que teve um volume de 49 milhões de toneladas”, aponta. Em valores de receita, a projeção do produto para 2013 é de US$ 31,1 bilhões em exportação, contra US$ 26,1 bilhões de 2012.

Projeções para 2014
Para o ano que vem, os dados de França projetam um aumento de 5% em volume, passando para 60,3 milhões de toneladas. Em termos de valor, o montante passará a ser de US$ 28,5 bilhões. “É possível que o valor seja um pouco menor, pois a projeção é de preço médio mais baixo em 2014, em função da melhora dos estoques mundiais e projeção de safra cheia na América Latina e nos Estados Unidos”, diz.

Os principais concorrentes do Brasil na exportação de soja são Argentina e Estados Unidos. O Brasil ultrapassa os Estados Unidos em exportação de grãos, mas a Argentina é o principal exportador de farelo e óleo, seguida pelo Brasil. “O fato de exportarmos matéria prima e não farelo ou óleo de soja é o único ponto negativo do complexo soja no País, pois nosso parque industrial está estagnado. A soja gera emprego no exterior, não gera emprego no Brasil”, conclui.

Segundo dados das Contas Nacionais Trimestrais do terceiro trimestre, publicados pelo IBGE, o setor de agropecuária recuou 3,5% em relação ao segundo trimestre e o PIB nacional, 0,5%. 

Cartola - Agência de Conteúdo - Especial para o Terra Cartola - Agência de Conteúdo - Especial para o Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade