PUBLICIDADE

Amanda Dias

Viver custa caro! Mas você já sabe qual é o seu custo de vida?

Melhore sua organização financeira aplicando essa medida simples

24 out 2022 - 17h40
(atualizado em 26/10/2022 às 18h00)
Compartilhar
Exibir comentários

Um dos primeiros passos fundamentais para o sucesso financeiro é se conhecer muito bem: seus hábitos, sua dinâmica financeira e familiar, seus sonhos e metas para o futuro, tudo isso importa na hora de dar um jeito na nossa vida financeira. Pensando nisso, hoje eu vou te apresentar uma forma de clarear as ideias de quem quer se organizar: o diagnóstico financeiro.

Assim como a primeira consulta no médico, o diagnóstico das finanças busca entender qual é o seu ponto de partida. Ou seja, a situação na qual você se encontra atualmente. Será que o que você ganha realmente não dá pra nada? Ou você tem uma torneirinha de gastos invisíveis aberta aí na sua casa?

Você pode nesse momento estar endividado, sem nenhuma reserva para situações emergenciais como uma doença, a perda de um emprego

Num cenário como esse, eu quero te trazer uma reflexão. Pare agora tudo que você está fazendo e responda mentalmente a pergunta:

  • Por quanto tempo você e os seus dependentes viveriam se você perdesse todas as suas fontes de renda hoje?

Será que vocês viveriam por 6, 12 meses ou será que não durariam nem 1 mês sem recorrer a ajuda de parentes ou se desesperar por uma nova colocação no mercado de trabalho?

Impactante, não é? Mais impactante ainda é pensar nessa situação em escala maior… Em tempos de crise econômica, por exemplo, o índice de endividamento sobe bastante. Você já pensou o porquê isso acontece?

São pessoas que dependem direta e exclusivamente do salário para bancar a sua sobrevivência e a manutenção da sua família e ao perder esse trabalho, sem ter nenhum tipo de reserva, elas acabam tomando empréstimos, ou usando mais o cartão de crédito e criando uma bola de neve de dívidas.

Se isso já aconteceu com você ou se você já viu acontecer com uma pessoa próxima, fique atento ao primeiro passo. É ele que vai te ajudar a se resguardar e não repetir esse erro no futuro.

Melhore sua organização financeira aplicando essa medida simples
Melhore sua organização financeira aplicando essa medida simples
Foto: iStock

O preço do seu sustento

E o ponto chave para fazer esse diagnóstico é o cálculo do custo de vida. O custo de vida, por sua vez, é formado pela soma do valor monetário dos itens que são essenciais à sua sobrevivência básica. Em outras palavras, ele é o preço do seu sustento.

Saber qual o valor do seu custo de vida e analisar quanto da sua renda atual é gasta com ele, é o ingrediente fundamental para o seu sucesso financeiro. É isso que vai te dar clareza para entender se é real ou imaginária a sensação de que o seu salário não dá pra nada. Ele também é a base para o cálculo da sua reserva de emergência ideal. Então vamos lá saber qual é o seu custo de vida?

Para calcular, você precisará de um papel, uma calculadora, lápis ou caneta. Pegue esses itens e pense por 10 minutos e coloque no papel tudo que vem a sua cabeça quando você pensa nos itens essenciais para a sua vida hoje.

Para ter certeza do que realmente é essencial, é só pensar nos cenários apresentados anteriormente. Imagine que você perdeu todas as suas fontes de renda, quais gastos você ainda precisaria manter e quais deles você iria eliminar?

Os gastos que você precisa manter, mesmo sem fonte de renda, esses são os seus gastos essenciais. São gastos que estão ligados à atividade básica de qualquer ser humano; comer, morar, dormir e se locomover.

Contas para quem é de humanas

Agora que você já listou os seus gastos essenciais, vamos atribuir um valor monetário a cada um deles. Quanto você gasta com moradia hoje? Paga aluguel? Água, luz, gás de cozinha? Qual o valor mensal gasto com alimentação? E com transporte? Atribua o valor mensal gasto com cada um dos itens da lista.

Depois, use sua calculadora e some todos esses valores. Tente ser o mais específico possível! Quando se trata de finanças, cada centavo depois da vírgula importa.

Somou tudo? Esse é o preço do seu sustento hoje.

O que você achou disso? Na sua opinião, esse valor é mais alto ou mais baixo do que você imaginou? E em comparação com o seu salário, você está vivendo abaixo da sua renda, dentro do padrão ou acima da sua renda?

Tire um tempo para pensar sobre isso e traçar um plano de ação para reduzir os seus custos, ou aumentar a sua renda, siga @terradinheiros nas redes sociais e ative as notificações para acompanhar a minha coluna que tem mais dicas passo a passo para você.

Fonte: Amanda Dias
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade