PUBLICIDADE

Reality Shows

Guimê se autodeclara preto e Mano Brown o defende: "Alguém com o exame de DNA dele?"

Fala do MC dentro do BBB23 repercutiu na web e abriu discussão sobre colorismo dentro e fora da casa

14 fev 2023 - 20h43
Compartilhar
Exibir comentários
O rapper defendeu o funkeiro pelas redes sociais
O rapper defendeu o funkeiro pelas redes sociais
Foto: Reprodução/ Instagram: @manobrown/ reprodução globo

Em conversa com outros brothers na noite da última segunda-feira, 13, o funkeiro MC Guimê, tocou no assunto de identidade racial e afirmou se identificar como uma preta.

“Eu fico até sem jeito de falar, porque as pessoas podem interpretar de diversas formas”, pontuou. “Eu, mesmo tendo esse tom de pele, eu me considero preto por acreditar que eu não me identifico com tantas coisas que os brancos propagam”, argumentou o funkeiro.

A fala causou uma repercussão nas redes sociais, com internautas se dividindo em criticar e apoiar as falas do cantor. 

Em uma postagem feita na página Mundo Negro no Instagram, o rapper Mano Brown resolveu sair em defesa de Guimê. “Tem alguém com o exame de DNA dele na mão para dizer que ele errou?”, indagou Brown.

Colorismo repercute dentro da casa

Na tarde desta terça-feira, 14, o assunto continuou sendo debatido entre os brothers. Através de exemplos de participantes do BBB23, o médico Fred Nicácio explicou que o Colorismo é uma forma de diferenciar a cor de pele da pessoa negra e, por meio desta separação, determinar como ela deve ser tratada.

“O colorismo vem desse lugar de estratégia de sobrevivência, ao mesmo tempo, causando muita dor para o povo preto, com um preto querendo ser menos preto que o outro para sobreviver, nós fomos empurrados para isso”, afirmou o médico. 

“Nós temos pretos de pele clara como a Domi (Domitila Barros), como a Paula, temos pretos marrons como eu e a Marvilla e temos pretos retintos como a Sarah, são vários tons de preto”, completou. 

Nesse momento, MC Guimê afirmou que a sua mãe tem o mesmo tom de pele e cabelo parecido com o da sister Marvilla. 

Fred Nicácio ainda comentou que o IBGE une a contagem de pretos e pardos para dar o número da população negra no Brasil. 

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade