PUBLICIDADE

Mulher alega ser a verdadeira 'Dona do Pedaço' e processa Globo

Sandra Rodrigues Campos alega que sua história foi plagiada na trama e pede R$ 15 milhões em indenização

18 mai 2022 18h58
| atualizado às 19h36
ver comentários
Publicidade

A TV Globo é alvo de um processo milionário. Uma cozinheira de São José do Rio Preto, interior de São Paulo, alega que teve a sua história de vida plagiada e exposta na novela 'A Dona do Pedaço' (2019), com isso ela solicita R$ 15 milhões em indenização;  R$ 5 milhões por danos materiais, R$ 5 milhões por danos morais e mais R$ 5 milhões de indenização por lucros cessantes. A ação corre na 5ª Vara Cível de Rio Preto.   

Sandra Rodrigues Campos encontrou semelhanças entre a sua historia de vida e a biografia de Maria da Paz, personagem criada por Walcyr Carrasco e interpretada por Juliana Paes na novela. Ambas aprenderam a cozinhar com a avó e se mudaram para um grande centro urbano. Sandra nasceu em Rio Verde, no interior do Estado de Goiás, e se mudou para São José do Rio Preto, onde encontrou na confecção de bolos uma forma de sustento. Na ficção, Maria da Paz troca Rio Vermelho, no Espírito Santo, pela cidade de São Paulo, onde se torna uma famosa boleira. 

Sandra Campos alega que sua história de vida foi plagiada na novela 'A Dona do Pedaço'
Sandra Campos alega que sua história de vida foi plagiada na novela 'A Dona do Pedaço'
Foto: Reprodução/TV Globo/Raquel Cunha

Além de boleira, Sandra também é jornalista. Ela trabalhou em uma produtora de Rio Preto, onde conheceu Aderson Rozani, seu empresário. No local, ela começou como gerente comercial, mas a produção de bolos continuava como uma forma de complementar a sua renda. Quando a apresentadora de um programa de culinária se acidentou, Aderson convidou Sandra para substituir a colega machucada, o resultado foi positivo e ela passou a ser apresentadora fixa da atração.

O programa também foi rebatizado e ganhou um novo título: 'A Dona do Pedaço', segundo informações do Notícias da TV.  O nome teria sido uma sugestão de Sandra, após ler a expressão "as donas do pedaço" em uma reportagem sobre mulheres empreendedoras. A sugestão agradou Aderson, que retirou apenas o plural do nome, até mesmo porquê a boleira era a única apresentadora da atração. 

 'A Dona do Pedaço' foi ao ar entre 2004 e 2008 pela TV Gente, antigo canal 15 da NET Rio Preto. Um programa de culinária com entrevistas, mas que também rendeu fama a Sandra, que alega ter ficado conhecida pelo apelido. Uma das provas seria a imagem de uma reportagem antiga, que ela publicou em seu Facebook. 

Sem avisar Sandra, Aderson vendeu a marca 'A Dona do Pedaço' para a Globo em 2019, o que impediu a boleira de usar o apelido. Quando a novela foi ao ar, no mesmo ano, a boleira fez algumas postagens em sua rede social ressaltando as semelhanças entre a ficção e sua vida.

A defesa

O escritório contratado pela TV Globo, Afonso Ferreira Advogados contestou a ação. Ao Terra, o advogado Gustavo Surian Balestrero explicou que a história de vida de Sandra não foi registrada em nenhuma obra intelecual, como uma biografia, o que exclui a possibilidade jurídica de plágio. Ele também ressaltou que a novela foi inspirada em uma coletânea de histórias comuns de mulheres  empreendedoras brasileiras, assim como em 'Romeu e Julieta', de Shakeaspeare. 

Para reforçar o argumento, o advogado anexou ao processo reportagens sobre duas confeiteiras visitadas pelo autor Walcyr Carrasco durante a fase de desenvolvimento do roteiro. Nenhuma delas era Sandra Campos. Além disso, o primeiro título sugerido para a obra não era 'A Dona do Pedaço', mas sim 'Dias Felizes'.   

Imagem de uma reportagem antiga divulgada por Sandra em uma rede social
Imagem de uma reportagem antiga divulgada por Sandra em uma rede social
Foto: Reprodução/Facebook

 

Fonte: Redação Terra
Publicidade
Publicidade