PUBLICIDADE

Lei Rouanet, 'tororó' de Anitta e CPI: relembre as polêmicas de Zé Neto

Sertanejo mirou a crítica no derrière de Anitta, mas acertou no uso de dinheiro público para contratação de shows

25 jun 2022 - 05h00
Ver comentários
Relembre as polêmicas do cantor sertanejo Zé Neto
Relembre as polêmicas do cantor sertanejo Zé Neto
Foto: Reprodução/Montagem

Quando Zé Neto decidiu criticar a tatuagem de Anitta no 'tororó', ele não imaginava que iria abrir a Caixa de Pandora. O cantor sertanejo de 32 anos fez o fatídico comentário em maio e de lá pra cá a sua vida sofreu uma reviravolta. Costelas fraturadas, críticas nas redes sociais e, claro, o temor de uma possível CPI dos sertanejos

Relembre as polêmicas de Zé Neto!

Lei Rouanet e 'tororó' de Anitta  

Durante um show em Sorriso, no Mato Grosso do Sul, Zé Neto descobriu o significado do provérbio: "A palavra é de prata, o silêncio é de ouro". Ele aproveitou a apresentação para alfinetar a Lei Rouanet e  Anitta

"Nós somos artistas que não dependemos de Lei Rouanet, o nosso cachê quem paga é povo. A gente não precisa fazer tatuagem no ‘toba’ pra mostrar se a gente tá bem ou não, a gente vem simplesmente aqui e canta”, completou fazendo referência a tatuagem da cantora no 'tororó'. 

Além de desconhecer o funcionamento da Lei Rouanet, Zé Neto parece ter esquecido que parte dos shows da dupla é contratada com dinheiro público de prefeituras...

'Tororógate' e verba pública

Após as falas do sertajeno, o jornalista Demétrio Vecchioli denunciou o valor recebido pela dupla vinda de prefeituras. Dinheiro pago sem licitação. 

"Zé Neto & Cristiano atacam quem capta recursos da Lei Rouanet, federal. Mas eles vivem de receber muito dinheiro de prefeituras pequenas, sempre sem licitação", escreveu o jornalista no Twitter. A quantia de dinheiro recebido pela dupla por prefeituras de locais como Sorriso (MT), Itabaiana (SP) e Colina (SP) ultrapassa os R$ 3 milhões.

A revelação de Demétrio inspirou novas denúncias sobre outros artistas, principalmente do gênero sertanejo. 

Desculpas e novos ataques

Zé Neto seguiu afiado com suas críticas. Em 20 de maio, ele voltou a falar sobre Anitta quando interrompeu o público que xingava a artista durante show em Dourados (MS). “Gente, não precisa. Vamos rezar por essas pessoas e que Deus abra a mente delas e que elas entendam”, disse Zé Neto,  que não parou por aí e sugeriu que a cantora fosse para o interior. “Que venha um dia, que um dia só na vida, colocasse uma botina amarela, entrasse num curral cheio de b*sta (…) para separar o gado, tirar um leite", concluiu. 

No dia seguinte, ele postou vídeo em suas redes sociais tentando apaziguar a situação. “Gente, descarto aqui todo tipo de ódio. Estou vendo várias pessoas se revoltando. Saiba que não aprovo nem um tipo de ódio e cancelamento”, escreveu ele em trecho publicado nos Stories.

Live de Gusttavo Lima

Um dos cantores mais 'afetados' com as investigações sobre o pagamento de cachês com dinheiro público foi Gusttavo Lima. O sertanejo fez live no Instagram, em 30 de maio, onde chorou e se defendeu das acusações de possíveis irregularidades, além de alegar que estava ao "ponto de jogar a toalha".

Zé Neto assistiu a live e comentou: “Cara, quem tem que dar satisfação sou eu. Irmão, estou atravessando uma fase ruim, sou seu irmão. Não precisa se explicar de nada. Joga para mim, irmão. Não tem nada a ver com você“.

Gusttavo Lima, no entanto, foi um dos artistas beneficiados pelo deputado André Janones (Avante-MG), que destinou R$ 1,9 milhão em recursos de uma emenda parlamentar para promover uma festa. O sertanejo também teve divulgado contrato de R$ 1,2 milhão feito pela prefeitura de Conceição do Mato Dentro, cidade mineira de apenas 17 mil habitantes.

CPI do sertanejo 

Com a enxurrada de revelações sobre o uso de dinheiro público sem licitação para a custear shows de artistas pelo País, o Ministério Público passou investigar eventos em ao menos 29 cidades. A maior parte das contratações inclui shows de artistas como: Gusttavo Lima, Xand Avião e Wesley Safadão. 

Em 8 de junho, a Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados aprovou a proposta de realização de uma audiência pública para tratar sobre o financiamento público de atividades artísticas no Brasil. A audiência deve acontecer em julho.

Fraturas nas costelas

As denúncias sobre cachês não foram os únicos problemas de Zé Neto. No início do mês, ele sofreu um acidente que resultou em três costelas fraturadas e o afastamento dos palcos, já que o tratamento médico incluia repouso absoluto. Assim, a agenda de shows da dupla Zé Neto & Cristiano foi cancelada até 16 de junho.

Volta aos palcos e novo afastamento

O período de repouso parece não ter sido suficiente. Segundo a empresa responsável por gerenciar a carreira dos sertanejos, Zé Neto apresentou um quadro de tosse, prejudicando assim o tratamento nas  costelas fraturadas e se ausentou do show de 21 de junho, no Pará. 

Cristiano, que também foi afetado pela maré de azar do colega e contraiu covid-19 no início do mês, assumiu as apresentações.

Fonte: Redação Terra
Publicidade
Publicidade