0

Carnaval e namoro… rola? Veja o que dizem os foliões!

Confira o que os foliões do Rio têm a dizer sobre o amor na folia

23 fev 2020
21h39
atualizado em 25/2/2020 às 10h17
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O Carnaval do Rio de Janeiro é um dos destinos mais cobiçados pelos solteiros. Mas há quem diga que curtir a folia com o parceiro é melhor ainda. É o caso dos cariocas Bruno Guimarães, de 35 anos, e Tiago Frederico, de 29, que ano passado utilizaram o recesso para descansar no interior de Minas, mas caíram na folia fluminense este ano.

Bruno e Tiago curtem o Carnaval do Rio
Bruno e Tiago curtem o Carnaval do Rio
Foto: Ix Chel / Especial para Terra

“O Tiago gosta de Carnaval, mas vem mais porque eu realmente curto muito, então, ele me acompanha. Mas a gente se diverte muito junto, independente de Carnaval. Amamos sair juntos e aproveitar os bloquinhos”, afirma o engenheiro Bruno. Tiago confessa: “Eu até gosto da curtição, mas prefiro ficar mais distante do furdunço, curtir os blocos mais de longe. Ano passado, consegui roubar ele (Bruno) da folia do Rio e fomos para um chalézinho em Itamonte. Mas, quando resolvemos ir para a festa por aqui, investimos em fantasias e gostamos de curtir em casal”.

O namorado da carioca Mariana Polonini, de 23 anos, também não curte tanto a festa de rua, mas isso não foi empecilho para ela deixar de aproveitar a festa com as amigas: “Como ele gosta menos de Carnaval do que eu, eu vim ao bloco e ele não. Namorar no Carnaval é a mesma coisa de namorar nas outras épocas do ano: ter confiança. O outro pode fazer o que ele gosta sem você estar presente, e tá tudo bem”, afima a publicitária.

Mariana Polonini no Carnaval do Rio
Mariana Polonini no Carnaval do Rio
Foto: Ix Chel / Especial para Terra

A designer Letícia Rumjanek, de 41 anos, também costumava passar o Carnaval com os amigos mas, este ano, trouxe o estadunidense Myles Schnorbus, de 34 anos: “Acho que ele não vai ter o pique para aguentar o tanto que eu aguento quando tô sozinha, então estamos indo com mais calma”. O casal se conheceu numa viagem à Patagônia e passou a trocar correspondências. Há sete anos estão namorando e moram no Rio, mas nunca conseguiram passar o Carnaval juntos na cidade porque Myles é engenheiro do Cirque du Soleil e está sempre em viagens nessa época. “É o meu primeiro Carnaval no Rio de Janeiro, e estou achando muito divertido. É um pouco como festa na universidade”, brinca o estadunidense.

Letícia e Myles passam o primeiro Carnaval juntos no Rio
Letícia e Myles passam o primeiro Carnaval juntos no Rio
Foto: Ix Chel / Especial para Terra

O Rio também foi a escolha de quem nunca nem tinha pisado em solo tupiniquim: os argentinos Franco Moncy, de 26 anos, e Anabel Martinez, de 26, namoram há dois anos e vieram ao Brasil especialmente para o Carnaval. “Em todas as cidades na Argentina temos Carnaval, mas não como aqui, que é tão grande, com tantas pessoas pelas ruas, com blocos e cores vibrantes”, diz a terapeuta ocupacional. “É lindo, bem diferente do que conhecemos. Estamos gostando muito, principalmente por estarmos namorando, nunca tínhamos ido ao Carnaval juntos, mesmo em nosso país”.

Os argentinos Anabel e Franco vieram ao Brasil especialmente para curtir o Carnaval
Os argentinos Anabel e Franco vieram ao Brasil especialmente para curtir o Carnaval
Foto: Ix Chel / Especial para Terra

Namorar no Carnaval também pode servir para outro propósito: “militar” juntos. Foi assim que o casal de psicólogos Regina Lordello, de 23 anos, e Rodolfo Brandão, de 29, justificou a fantasia. “Ter alguém para lutar pelos mesmos ideais, dar importância às causas que você acredita é maravilhoso. Para mim, estar namorando no Carnaval é perfeito”. Regina conta que a inspiração da fantasia foi a música “Pescador de Ilusões”, do Rappa: “Meu namorado está de pescador e eu estou representando as ilusões que o povo deste país começou a acreditar. Meritocracia? Terra Plana? Kit gay? Essas coisas não existem”. Juntos há cinco meses, eles acreditam que o Carnaval é um espaço de visibilidade para levar à população questionamentos sobre a atualidade. “Carnaval é arte, e é na arte que a gente se expressa e pela arte que temos que falar sobre o que nos incomoda”, declara a psicóloga.

Para Regina e Rodolfo, namorar no Carnaval também pode servir para “militar” juntos
Para Regina e Rodolfo, namorar no Carnaval também pode servir para “militar” juntos
Foto: Ix Chel / Especial para Terra

O casal de gaúchos Fabiana Bobik, de 23 anos, e Lucas Becker, de 25 anos, também escolheu os adereços deste Carnaval pensando em fazer uma crítica social. “O comentário de Damares sobre menino veste azul e menina veste rosa é realmente uma piada, então achamos uma boa ideia nos vestir disso esse ano”, afirma a advogada. Já virou tradição: todo ano a fantasia é escolhida à dedo pelos dois, que sempre pensam em fazer algo criativo e passam, há três anos, o Carnaval no Rio. “Somos muito parceiros, bebemos juntos, nos divertimos juntos. Estamos na mesma vibe”, afirma a advogada. “A gente curte junto, não incomoda ninguém e não nos metemos em confusão”, completa o analista de sistemas.

Os gaúchos Lucas e Fabiana passam o Carnaval no Rio já três anos
Os gaúchos Lucas e Fabiana passam o Carnaval no Rio já três anos
Foto: Ix Chel / Especial para Terra

Veja também:

Manual de sobrevivência para curtir o Carnaval

 

Fonte: Especial para Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade