PUBLICIDADE

Tomar muito café pode prejudicar a capacidade de aprendizado

Pequeno estudo dos EUA sugere que ingerir diariamente altas doses de cafeína pode comprometer a capacidade de aprendizado e a neuroplasticidade do cérebro

30 nov 2023 - 12h19
(atualizado às 16h22)
Compartilhar
Exibir comentários

O café tem inúmeros benefícios já identificados pela ciência, como a redução no risco de diabetes tipo 2. No entanto, o consumo excessivo pode ter seus malefícios. Segundo pesquisadores da Universidade Brown, nos Estados Unidos, a ingestão de grandes quantidades diárias de cafeína pode comprometer a capacidade de aprendizado e a plasticidade cerebral.

Foto: ArtRachen/Envato / Canaltech

A identificação desses problemas relacionados ao consumo excessivo de cafeína ainda precisa ser verificada, mas o estudo preliminar, com 20 voluntários, traz pistas do que pode acontecer no cérebro dos indivíduos. A pesquisa completa foi publicada na revista Frontiers in Psychiatry.

Beber cafeína demais

A cafeína é um poderoso psicoestimulante, que é amplamente utilizado na maioria dos países. Entre os seus benefícios, está a capacidade de manter as pessoas alertas e mais "acordadas". Isso ocorre porque as bebidas com cafeína, incluindo cafés, chás e energéticos, conseguem bloquear a adenosina, um neuromodulador que avisa ao cérebro a hora que o corpo precisa descansar.

No entanto, a adenosina também está relacionada com um processo conhecido como potenciação de longa duração (LTP). É através da LTP que as células neuronais fortalecem as suas ligações. Também é fundamental para o aprendizado e para a memória.

No estudo, a equipe de cientistas analisou 16 pessoas que tomavam entre uma a cinco doses de bebidas com cafeína por dia. Além desse grupo, foram analisados quatro indivíduos que não têm o costume de ingerir esse estimulante.

Muita cafeína pode comprometer a capacidade de aprendizado do cérebro (Imagem: Alexandra Koch/Pixabay)
Muita cafeína pode comprometer a capacidade de aprendizado do cérebro (Imagem: Alexandra Koch/Pixabay)
Foto: Canaltech

Todos passaram por sessões de estimulação magnética transcraniana repetitiva (EMTr). Este é um método para tratar pacientes com alguns tipos de distúrbios neuropsiquiátricos, a partir de campos magnéticos que induzem correntes elétricas em regiões específicas do cérebro. Nesta pesquisa, o EMTr foi utilizado como uma forma de simular a capacidade de aprendizado e a LTP.

Nos voluntários, os cientistas buscaram medir os sinais de impulsos elétricos recebidos pelo sistema nervoso como forma de avaliar a LTP. Naqueles que não bebiam cafeína, o LTP era mais intenso.

Mais estudos sobre café

Na visão dos autores, quem bebe cafeína demais compromete a capacidade da LTP, intimamente associada com o aprendizado e a memória. Isso sugere que pode haver uma perda na capacidade de plasticidade cerebral. No entanto, a descoberta ainda não é conclusiva.

"Esses dados preliminares destacam a necessidade de testar diretamente os efeitos da cafeína em estudos prospectivos e bem fundamentados, porque, em teoria, eles sugerem que o uso crônico de cafeína pode limitar o aprendizado e a plasticidade", completam os autores.

Fonte: Frontiers in Psychiatry

Trending no Canaltech:

Canaltech
Compartilhar
Publicidade
Publicidade