PUBLICIDADE

Síndrome da autocervejaria faz corpo produzir álcool, mesmo sem beber

Homem provou em tribunal, na Bélgica, que é portador da síndrome da autocervejaria, condição rara em que o corpo produz álcool após o consumo de carboidratos

22 abr 2024 - 20h24
(atualizado em 23/4/2024 às 11h42)
Compartilhar
Exibir comentários

Na Bélgica, um homem, de 40 anos, foi absolvido, nesta segunda-feira (22), após acusações de que dirigia alcoolizado por conter elevados níveis de etanol no sangue. Embora embriaguez e direção sejam proibidos no país, o indivíduo comprovou que é portador de uma condição bastante rara, conhecida como síndrome da autocervejaria ou síndrome da fermentação intestinal, e que não tinha bebido quando foi abordado pelos policiais. 

Foto: jcomp/Freepik / Canaltech

Além da Bélgica, casos da síndrome de autocervejaria já provocaram intensos debates nos Estados Unidos e no Reino Unido. Afinal, é bastante improvável pensar na ideia de que o corpo humano consiga produzir álcool sozinho, sem a ingestão de nenhuma gota de bebida alcoólica. 

Surpreendente, é possível a produção endógena de etanol, em casos muito raros e pontuais. Então, nem adianta tentar usar essa "desculpa" para desrespeitar a lei e questionar o resultado de um teste de bafômetro no Brasil.

O que é síndrome da autocervejaria?

Em pacientes diagnosticados com a síndrome da autocervejaria, os microrganismos presentes no sistema digestivo convertem alimentos ricos em carboidratos (açúcar/glicose), como pães e batatas fritas, em álcool. Em alguns casos, o quadro pode ser desencadeado pelo uso de antibióticos.

Corpo humano pode produzir álcool, sem a ingestão de bebidas, como ocorreu com homem na Bélgica (Imagem: Julost/Envato)
Corpo humano pode produzir álcool, sem a ingestão de bebidas, como ocorreu com homem na Bélgica (Imagem: Julost/Envato)
Foto: Canaltech

A condição rara "decorre da proliferação generalizada de microrganismos intestinais, o que, por sua vez, leva à produção endógena de etanol", reforçam pesquisadores da Rawalpindi Medical University (RMU), no Paquistão, em artigo na revista científica Cureus.

Diferentes microrganismos podem provocar a condição, especialmente fungos (leveduras) e bactérias, como:

  • Saccharomyces cerevisiae
  • Candida albicans
  • Candida parapsilosis
  • Candida glabrata
  • Candida kefyr.

Se o paciente tem a síndrome de autocervejaria e consome refeições ricas em carboidratos, mesmo sem beber, ele desenvolverá comportamentos típicos de pessoas alcoolizadas, como marcha cambaleante, fala arrastada, desconforto gastrointestinal e estado de confusão. Em casos extremos, pode ter intoxicação alcoólica.

Como parar a produção de álcool pelo corpo?

"Como os carboidratos estão envolvidos na patogênese desta síndrome, os pacientes são aconselhados a limitar a ingestão de carboidratos e aumentar o consumo de proteínas", explicam os autores. "Alguns casos relatados na literatura melhoraram apenas seguindo as orientações dietéticas e não houve necessidade de terapia medicamentosa", acrescentam.

Se a condição não melhorar com os ajustes na alimentação diária, a equipe médica responsável deve receitar medicamentos para controlar os microrganismos que se proliferam no trato intestinal do indivíduo.

Embriagado, sem beber álcool

No caso do paciente belga com a síndrome da autocervejaria, o número de episódios associados à bebedeira caiu com a adoção de uma dieta pobre em carboidratos. No entanto, o processo de diagnóstico e de comprovação do quadro foi longo.

A história se desenrola desde abril de 2022, quando o homem foi identificado com  uma taxa de 0,91 mg de álcool por litro de ar expirado, sendo que o limite legal da Bélgica é 0,22 mg/l. Em maio, ele foi novamente autuado, com 0,71 mg/l. Só agora a questão foi legalmente resolvida.

Fonte: AFP (France 24) e Cureus  

Trending no Canaltech:

Canaltech
Compartilhar
Publicidade
Publicidade