PUBLICIDADE

Remédio para prolongar vida de cães pode ser aprovado em breve

A FDA reconheceu que os dados fornecidos pela empresa de biotecnologia Loyal são suficientes para afirmar que existe uma expectativa razoável de eficácia

29 nov 2023 - 12h10
(atualizado às 16h34)
Compartilhar
Exibir comentários

O remédio antienvelhecimento para cães produzido pela empresa de biotecnologia Loyal, dos EUA, está a um passo mais perto de se tornar realidade. Isso porque na última terça-feira (28), a empresa recebeu um sinal positivo da FDA (órgão de saúde dos EUA), de que os dados fornecidos são suficientes para mostrar que há uma "expectativa razoável de eficácia".

Foto: Helena Lopes/Pexels / Canaltech

O medicamento ainda não está disponível e a FDA ainda deve revisar os dados de segurança e fabricação da empresa. Mas a aprovação condicional, que a Loyal espera receber em 2026, permitiria à empresa começar a comercializar o medicamento — cuja promessa é prolongar a vida canina.

"Vamos reivindicar pelo menos um ano de extensão da expectativa de vida saudável", disse Celine Halioua, fundadora e executiva-chefe da Loyal, ao New York Times.

Por enquanto, ainda é impossível dizer de maneira concreta se o medicamento (que tem sido chamado de LOY-001) realmente cumprirá a promessa. Ainda assim, os estudos realizados até então sugerem que a substância é capaz de atenuar as alterações metabólicas associadas ao envelhecimento.

Com base nisso, a Loyal também já está recrutando cães para um ensaio clínico de outro candidato a medicamento, denominado LOY-002.

Remédio antienvelhecimento para cães

Assim, os grupos conduzem dois destes simultâneos. Um deles foca em cães de grande porte, e outro em cães menores, mas ambos buscam uma pílula que retarde o processo de envelhecimento enquanto aumenta a resistência a doenças.

Remédio para prolongar vida de cães pode ser aprovado em breve (Imagem: Valeria Boltneva/Pexels)
Remédio para prolongar vida de cães pode ser aprovado em breve (Imagem: Valeria Boltneva/Pexels)
Foto: Canaltech

O primeiro teste trabalha na alteração de processos celulares que reduzem a expectativa de vida, o segundo foca na desaceleração da demência e insuficiência renal.

Como funciona

A pesquisa se concentra em mudanças epigenéticas, que são reversíveis e agem na forma como o DNA é expresso. "A metilação do DNA é um dos muitos tipos de modificações epigenéticas adicionadas ao DNA que controlam quais partes do são ativas em uma célula. Com o passar do tempo, os padrões de metilação nas células de todo o corpo de um organismo mudam. Essas mudanças na metilação estão intimamente ligadas ao envelhecimento", explicam os pesquisadores.

O remédio para prolongar a vida de cães tem esse alvo justamente porque eles não vivem tanto quanto os humanos. Logo, a vida útil é curta o suficiente para torná-los mais fáceis de estudar. Esses animais também desenvolvem doenças relacionadas à idade semelhantes aos humanos.

Fonte: FDA, The New York Times, Business Wire

Trending no Canaltech:

Canaltech
Compartilhar
Publicidade
Publicidade