PUBLICIDADE

O que acontece com o corpo após 7 dias sem comer?

Experimento investiga os efeitos de ficar sem comer durante uma semana no organismo de 12 pessoas saudáveis. Os resultados revelam riscos e benefícios do jejum

4 mar 2024 - 19h06
(atualizado em 5/3/2024 às 11h04)
Compartilhar
Exibir comentários

Já imaginou o que a restrição extrema de comida pode fazer com o corpo humano? Em busca de respostas, cientistas da Queen Mary University of London (QMUL) acompanharam 12 pessoas saudáveis que ficaram 7 dias sem comer nada sólido, ingerindo apenas água.

Foto: Thought Catalog/Unsplash / Canaltech

Os participantes que levaram o jejum ao extremo foram acompanhados intensamente no pequeno experimento. Cerca de 3 mil proteínas encontradas no sangue foram medidas diariamente. As alterações nas concentrações das proteínas começaram a mudar, de fato, no terceiro dia, segundo estudo publicado na revista Nature Metabolism.

"Pela primeira vez, fomos capazes de ver o que está acontecendo, no nível molecular, em todo o corpo quando jejuamos", afirma Claudia Langenberg, pesquisadora da QMUL e um das autoras do estudo, em nota.

Ficar longos períodos sem comer

"Sobreviver a longos períodos sem comida moldou a evolução humana", afirmam os autores, no artigo. Segundo os pesquisadores, desde as sociedades antigas, o hábito de jejuar era praticado, sendo que algumas vezes envolvia questões religiosas.

Mais recentemente, tem se popularizado a realização do jejum intermitente, como forma de acelerar a perda de peso. Outra moda é fazer uma única refeição por dia, prática conhecida como dieta Omad.

Independente dos motivos, é preciso lembrar que passar muitas horas sem comer pode provocar riscos à saúde. Quando o acesso à comida é limitado por muito tempo, a pessoa pode sofrer com fraqueza muscular, falta de concentração, hipoglicemia, desmaios e até desnutrição. Também há evidências de que pular refeições pode aumentar o risco de mortalidade.

Efeito do jejum de 7 dias

Durante o jejum prolongado, os pesquisadores descobriram que a principal fonte de energia do organismo deixou de ser a glicose e passou a ser a gordura armazenada no corpo, conforme o esperado — afinal, não foram ingeridos novos alimentos, obrigando o organismo a buscar energia em fontes já existentes.

É possível passar 7 dias ou mais sem comer, bebendo apenas água (Imagem: Prostock-studio/Envato)
É possível passar 7 dias ou mais sem comer, bebendo apenas água (Imagem: Prostock-studio/Envato)
Foto: Canaltech

Os pacientes perderam, em média, 5,7 kg ao longo da semana. Foi observado tanto a perda de massa gorda quanto da massa magra. Isso inclui a redução da massa muscular, o que pode ser bastante negativo para a saúde.

Mudanças no nível de proteínas no organismo

Entretanto, os autores se surpreendem mais com as mudanças que ocorreram no sangue, com variações nos níveis de proteínas. Para dimensionar, a concentração de 1 em cada 3 proteínas medidas mudou significativamente durante o jejum. Ainda não se sabe o que essa "revolução" significa para o organismo, mas existem algumas pistas.

Cruzando os achados do experimento com dados genéticos, os pesquisadores estimam determinados benefícios ou prejuízos associados com a mudança na concentração das proteínas.

No caso da proteína HYOU1, os níveis dela caíram em decorrência do jejum. Como a sua presença está associada à doença arterial coronariana, os cientistas sugerem que a sua redução pode ser benéfica para a saúde do coração. Por outro lado, o fator de coagulação XI aumentou, conforme as pessoas ficavam sem comer, o que pode elevar o risco para a trombose. 

Basicamente, esta pesquisa traz mais uma peça para o quebra-cabeça do jejum e dos efeitos em passar longos períodos sem comida. No futuro, os achados poderão ajudar a definir melhor os benefícios da prática e quando pode ser recomendada.

Fonte: Nature Metabolism e QMUL    

Trending no Canaltech:

Canaltech
Compartilhar
Publicidade
Publicidade